Para colocar na prática o que aprenderam no projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no canteiro de obras, a Dinâmica Engenharia propôs um desafio inspirador aos seus operários: um concurso de poesia para homenagear a capital goiana, que completa 84 anos no próximo dia 24 de outubro.

Operários poetas homenageiam Goiânia

26/10/2017

Para colocar na prática o que aprenderam no projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no canteiro de obras, a Dinâmica Engenharia propôs um desafio inspirador aos seus operários: um concurso de poesia para homenagear a capital goiana, que completa 84 anos no próximo dia 24 de outubro.

No total foram 8 participantes, a maioria são de alunos do 9º período do EJA. Para incentivar ainda mais a veia artística de seus colaboradores, a empresa irá premiar as duas melhores poesias.

A revelação do concurso aconteceu onte, 26/10, no canteiro de obras do Residencial Detàil Vaca Brava. O 1º lugar ficou, para o pedreiro José Alvarenga Arriel, e o segundo para Osvaldo Silva.

O encanador Felismar Rodrigues Pereira, 35 anos, foi um dos “poetas operários” a encarar o desafio. Natural do estado do Tocantins, ele conta que chegou em Goiânia há 15 anos e de lá pra cá criou um amor enorme pela cidade que o acolheu. Para Felismar, Goiânia, além de bela, o ajudou a construir sua vida.

“Com dez anos de construção civil, acho que ajudei de certa forma a construir um pouco a cidade também e tenho muito orgulho disso. A cidade também me trouxe oportunidades que encontrei aqui que me fizeram crescer profissional e pessoalmente. Hoje tenho minha casa, meu carro, e consigo dar uma vida digna pro meu pai que mora comigo”, relata. Felismar compôs dois poemas em parceria com seus colegas de EAJ.  

Amor pela cidade

Osvaldo Silva, 54, é natural da Bahia e chegou à Goiânia no ano de 1976, ainda criança, e desde então não voltou à sua terra natal nem mesmo a passeio. Para ele a capital é o lugar onde constituiu sua família e prosperou, portanto sua casa.

“Minha inspiração para o poema foi justamente o amor que sinto por essa cidade linda. Mesmo sendo muito tímido, deixei isso de lado para fazer essa homenagem”, diz. Ele conta que para escrever o poema contou com o auxílio da professora do EJA e também das duas filhas. “Elas me ajudaram a encontrar algumas palavras mais bonitas para usar e com pesquisas na internet. Acho que isso também contribuiu para o meu aprendizado”, ressalta.

A professora do Sesi e que dá as aulas para a turma do EJA na obra da Dinâmica Engenharia, Mileani Ribeiro Rodrigues, conta que a iniciativa da empresa veio a calhar, pois além de ser uma homenagem à cidade, colaborou para o bom desempenho da turma.

“Assim que soube do concurso fiz uma aula explicando o que é a arte da poesia, como fazer um poema e logo depois apresentei a proposta. Com isso, eles puderam aprender de uma forma mais interessante vários tipos de conteúdos, como a história da cidade, interpretação de texto e sobre essa modalidade de escrita”, relata.


Fonte:: Redação