Canal
Conteúdo

Quer discutir a relação? Vamos começar pelo valor

Por: Redação. 6 de Junho de 2020

Não é de hoje que se discute a relação em todo o mercado. Não apenas entre agências e clientes mas fornecedores, veículos, profissionais.  

As relações muitas vezes entram no automático, e, processos burocráticos de todos os lados, destroem a magia de se fazer comunicação.

Leia também: Principais nomes das agências especializadas comentam a crise do setor.

A relação está em pauta. Discussões de prazo de pagamento, de excesso nas concorrências, de gente trabalhando de graça, em agências que não performam mais como performavam antes, hora e homem sendo precificado no lugar de ideias.

Mas durante a pandemia a crise se instaurou, e passou a ser  ainda mais urgente procurar um ponto de equilíbrio e fazer a roda girar e reestabelecer relações sustentáveis. Um sonho para CEOs de agências e de clientes.

Anunciantes apanhando em rede social. Agências topando qualquer negócio e destruindo o mercado. Clientes criando novos modelos de geração de ideia para suprir suas necessidades. 

Não existem culpados. Está todo mundo tentando sobreviver num ambiente hostil que nós mesmos criamos.

Clientes não enxergando valor nas agências passam a discutir preço. Agências não conseguindo reconhecer ou criar valor, acabam entrando no topa tudo por dinheiro.

Está na hora de dar um basta. Botar a bola no chão e reestabelecer valores esquecidos em algum lugar entre o compliance e o procurement.

Este movimento, que não é para agências ou clientes, e, sim, para todo o mercado, é para fazer todo mundo pensar. Discutir. Abrir o diálogo e recriar as melhores práticas. Resgatar ou criar novos valores.

“Acreditamos que resgatar valores é algo tão simples quanto um olhar. Basta ver que custo é diferente de valor e o nosso mercado tem muitos exemplos.”, ressalta Fernando “Feof” Figueiredo, CEO da Bullet.

Intitulado #issotemvalor, o movimento compartilha premissas comuns ao mercado. Comparações do que tem custo e o que tem valor numa relação.

“Pra mim me parece óbvio. Se a gente consegue mexer no ponteiro do cliente, ele vai conseguir mexer no nosso.”, completa Feof.

Todo CEO de empresa busca performance. E performance se dá por meio de diversos fatores, que também incluem savings. Mas uma boa estratégia, combina diversas iniciativas que permitem que todos os lados ganhem.

Reconhecer valor é oposto ao “tanto faz”. Quando o anunciante reconhece valor numa relação, numa ideia, a discussão de preço ou prazo de pagamento é irrelevante, por isso que conseguir mudanças de comportamento por decreto não vai levar a lugar algum.

O movimento é open source. Não é da Bullet. E Fernando reconhece que este movimento motiva o jeito de pensar, de olhar as coisas e agir. 

Permite o anunciante falar o que deseja numa relação, ou uma agência pontuar o que precisa fazer para ir de encontro com os anseios do mercado. Incentiva agências a tratarem com respeito seus fornecedores, e no final do dia, fazer todo mundo se questionar: “Estou realmente criando valor?”

Muita coisa está diferente. O mercado não vai mudar. Já mudou. E isso exige uma nova forma de pensar, de agir. E este novo normal começa pelo diálogo, olhando nos olhos e sendo sincero, uns com os outros.

Tags: melhores-da-semana | mercado de eventos | agências de live marketing | profissionais de live marketing | #issotemvalor