Varejo

O Ano começou morno. E a Copa do Mundo vem ai !!


12 de Fevereiro de 2020

O Ano para o segmento de food service começou morno. A expectativa do setor era de retomada do crescimento em 2018, pois os últimos meses de 2017 apontaram para um aquecimento do consumo.

Porém o primeiro quadrimestre não disse para que veio. Apesar de termos melhora no índice de confiança do consumidor e a inflação em patamares baixos, é fato a queda do número de clientes que estão se alimentando fora do lar.

Um dos motivos que está sendo preponderante para este comportamento é a diferença entre a inflação fora do domicílio que até março de 2018 no acumulado de 12 meses acumulava 3,38%, segundo o IBGE, a inflação para alimentação no domicílio apresentava retração de 4,28%.

Está havendo uma mudança de hábitos em função da crise e do menor custo da alimentação no domicílio, afetando principalmente o consumo nos momentos de lazer e favorecendo a diminuição do ticket médio das refeições fora do lar.

Pelos dados do IFB – Instituto Food Service Brasil – o faturamento do setor de food service cresceu no 1º. Trimestre 5,1% em relação ao ano anterior com base em todas as lojas e 0,6% com base nas mesmas lojas. Ou seja praticamente uma estabilidade em relação ao ano anterior com base nas mesmas lojas.

Abrindo este resultado em número de transações nas lojas e ticket médio temos o seguinte cenário para o 1º. Trimestre:

Em Transações comerciais há um crescimento de 2,0% em relação ao ano anterior com base em todas as lojas e uma retração 2,2% com base nas mesmas lojas.

No Ticket Médio houve um crescimento de 3,1% na base total lojas e um crescimento de 2,8% na base mesmas lojas, bem em linha com a inflação da alimentação fora do lar divulgada pelo IBGE.

Ou seja, 2018 ainda não disse para que veio e o mercado está morno.

Porém temos dois grandes eventos até o final do ano, a Copa do Mundo e as eleições.

Na Copa do Mundo, como a maioria do jogos acontecerá próximo a hora do almoço no Brasil a expectativa é que a Copa afete negativamente o principal momento de consumo de alimentação fora do lar, projetando uma tendência de esfriar o segmento de food service em junho e julho.

Porém outros como bebidas, esportivo e eletroeletrônicos tem uma grande expectativa de ganhos expressivos de faturamento.

Já nas eleições ainda está nebuloso, pois tudo irá depender de como ela irá afetar a confiança do consumidor para o final do ano.

Ou seja, teremos que pilotar 2018 mês a mês buscando todas as oportunidades de consumo para ter um crescimento, ativando o consumidor com inovações, promoções, novas lojas, delivery e usando a tecnologia para fidelizar o cliente.

Tags: Cultura | Relacionamento | Brasil | Portal | Articulista – Editor | Agências em Geral | Internet | Comunicação | Marketing | Artigo|Opinião|Ensaio | Merchandising