VAREJO

Cenário do food service e seus desafios para 2021


26 de Dezembro de 2020

Conforme meu último artigo (Veja aqui), venho aqui com mais dados sobre o food service em 2020 e seus desafios para 2021. 

Mais uma pesquisa feita pela consultoria Galunion junto aos operadores em novembro, acabou de ser divulgada.

Abrangendo empresas de todas as regiões do Brasil incluindo franqueadores e franqueados e operadores de lojas próprias de redes e independentes, a pesquisa conseguiu apresentar um panorama bem completo do setor.

Em relação aos resultados de faturamento, 23% estão iguais ou superiores a 2019, 21% reduziram até 25%, 29% reduziram entre 25% e 50% e 27% ficaram abaixo de 50%. 

Ao longo dos meses, o faturamento em relação a 2019 vem avançando de forma significativa e a média está em um faturamento 17% menor que o ano anterior.

Como principais motivos da não retomada, 29% colocam que seu ponto está em locais que o fluxo ainda não normalizou como shoppings, aeroportos e redondezas de escritórios, 27% apontam falta de confiança do consumidor em frequentar bares e restaurantes, 24% relatam falta de renda dos clientes e 20% em função dos horários e disponibilidades de lugares limitados. 

Além disto, 37% das redes já tiveram que fechar mais de uma unidade definitivamente.

Em relação à jornada de trabalho, 70% fizeram uso da MP 936 sendo que 62% pretendem renovar caso seja continuada em 2021. Porém 64% tiveram que demitir durante a crise e reduziram seu quadro em 37% na média de todas as empresas. 

Com relação à contratação para o final do ano e 2021, 34% pretendem contratar, 42% não irão contratar e 24% ainda não decidiram.

Porém, 91% estão otimistas em conseguir superar essa crise e 74% afirmam que possuem os recursos para honrar a folha do final do ano e o 13º. salário.

Com relação aos impostos, 61% estão com os tributos pagos. Aqueles que precisaram atrasar, 87% esperam um parcelamento e descontos para colocar seus tributos em dia.

Em relação ao delivery e ao take-away, 78% das empresas dizem operar com essas modalidades. Após a reabertura do setor, 57% consideram que as vendas nesses formatos não caíram ou continuaram crescendo e 43% perceberam uma queda nas vendas. 

Como percentual total das vendas, o delivery cresceu de 27% em 2019 para 38% em 2020 e a expectativa para 2021 é que mantenha nesse percentual. Porém para 61% das empresas, o delivery representa até 30% do faturamento.

Os principais operadores de delivery são: iFood com 80% das empresas operando com esta plataforma, depois vem o WhatsApp com 60%, telefone com 52%, redes sociais com 32%, Uber Eats com 29%, Rappi com 25% e aplicativo próprio com 23%. 

Uma das grandes dificuldades do delivery é que somente 36% das empresas se dizem 100% integradas com os sistemas das plataformas e 64% precisam ainda imputar as vendas manualmente em seu sistema.

Em relação à previsão para 2021, 56% se dizem sem previsões em função de um cenário muito nebuloso e com muitas incertezas. 41% esperam crescimento em 2021 e somente 3% esperam queda. Mas como planos para 2021 são citados os seguintes projetos: 41% está aberto a parcerias e a investidores, 37% está investindo em novos canais, 23% em marcas próprias, 22% buscando investidor sem perder o controle, 22% querem vender o negócio, 11% buscando empresas para comprar e 3% novas marcar para franquear.

Como ações para crescer as vendas, aparecem com 69% a ampliação dos canais de relacionamento e fidelização com os clientes, 67% busca ampliar os canais de vendas, 59% estão buscando mais atratividade e rentabilidade em seu menu, 40% querem melhorar seus canais de fornecimento e redução de desperdícios, 35% reestruturar o negócio e 29% buscam evoluir na transformação digital.

2020 chegou ao seu fim e aqueles que conseguiram superar essa jornada ainda têm muito a caminhar em 2021. Muitos desafios ainda estão pela frente. 

O cenário de uma nova normalidade não parece ser no curto prazo. Na melhor das hipóteses será a partir do segundo semestre. Assim meus caros empreendedores, continuem respirando fundo, não relaxem e mantenham o foco na sobrevivência do negócio.

Espero que todos ao final de 2021 possam se  abraçar e comemorar realmente a superação deste período que ficará para nossa história.

 

Foto: Reprodução.

Tags: