VAREJO

10 tendências de consumo para 2021


4 de Fevereiro de 2021

O Euromonitor publicou um estudo com as 10 principais tendências de consumo para 2021. Em um breve resumo vou colocar os principais pontos do estudo.

Com o impacto da pandemia, algumas expectativas se transformaram tanto em relação às empresas como aos produtos. O consumidor mudou alguns hábitos para sempre e também passou a ter uma visão de mundo diferente.

Como primeira tendência aparece a expectativa de construir e contribuir para um mundo melhor. O papel das empresas nas prioridades sociais passou a ser muito valorizado tanto protegendo a saúde e o bem estar dos seus colaboradores como também em relação a ajuda às comunidades locais. 

A questão ambiental também tem relevância, mas a questão social virou prioridade por obter resultados imediatos.

Na segunda tendência apareceu o desejo por conveniência, e esta questão tem uma grande variável de formatos, cada tipo de consumidor valoriza um formato de conveniência, os mais jovens são muito mais digitais e os mais velhos ainda valorizam algum tipo de interação humana. 

As empresas precisarão identificar as necessidades de conveniência dos seus clientes para ganhar novamente a sua preferência, estabelecendo uma nova relação de confiança e segurança.

A terceira é a busca por um oásis ao ar livre. Diante do confinamento por tanto tempo os consumidores estão buscando espaços ao ar livre para que possam se sentir mais seguros e tenham uma zona de escape. 

Isto gerou uma busca por cidades menores seja no litoral como no Interior. Outra tendência são os novos formatos para a convivência nas grandes cidades, com amplos espaços ao ar livre e com distanciamento social.

A realidade figital veio para ficar. A perfeita interação entre o mundo físico e digital será cada vez mais forte, principalmente quando o convívio social começar a se normalizar. 

O uso, principalmente do mobile, para interagir com produtos e pessoas é um hábito que vai se manter. A volta da experiência física será um complemento relevante para a construção do relacionamento com o consumidor.

A otimização do tempo será muito valorizada, pois, nesse período, o convívio com a família ficou mais intenso. Buscar um novo formato que alinhe trabalho, convívio familiar e social será fundamental para atração de talentos para as empresas. 

Além disso, com a conveniência digital, as empresas precisam estar disponíveis 24 horas para se adaptarem aos horários de cada cliente.

A disseminação das redes sociais, a facilidade ao acesso à informação e a manifestação e a opinião aberta com grande eco, criou uma geração de inquietos e rebeldes

As empresas que souberem se posicionar e criar uma comunicação alinhada com esses questionamentos terão muito a ganhar, criando uma comunicação direcionada ao seu público e à rede em que estará divulgando a sua marca.

A saúde virou o principal valor a se preservar, com isso surgiu uma obsessão por segurança. As ações que gerem pouco ou nenhum contato, como o pagamento por distanciamento, terão aceitação imediata, assim como atividades que promovam a higiene frequente. 

Esse é um grande desafio para o varejo, principalmente restaurantes e vestuário pela necessidade da prova.

As diversas mudanças em nossas vidas em tão pouco tempo mexeram muito com o psicológico das pessoas. Isto levou a população a um estágio de abalados e reflexivos. 

Proporcionar produto que os valorizem e ajudem a melhorar seu estado emocional como atividades ao ar livre e esportes, artes e artesanato, educativo e científico e até criar momentos de “eu mereço” certamente irão conquistar os consumidores.

Com o crescente uso da internet para fazer compras e sua dinâmica de estar sempre fazendo promoções, se criou o hábito de a ordem é pechinchar 

A incerteza econômica em relação ao futuro e a facilidade de comparar e pesquisar fez com que os consumidores estejam muito mais atentos ao valor dos produtos. 

Desenvolver um produto com uma história, um propósito e uma qualidade realmente percebida será a fórmula de sucesso para construção de valor.

Por fim, o redimensionamento dos novos espaços de trabalho, irá criar um redimensionamento dos espaços domésticos e ao desenvolvimento de novos hábitos em casa por conta do home office

Isso cria um mundo de oportunidades, obrigando as empresas a ficarem atentas a todas as mudanças que isto irá causar.

Em síntese, a todas essas novas tendências, flexibilidade, agilidade, transparência e tecnologia irão ditar o movimento das empresas. Diante das incertezas, conhecer a nova demanda dos consumidores, do meio ambiente e da segurança será fundamental para manter a fidelidade do cliente e para construir um futuro melhor.

Tags: artigo | varejo | marcelo-amarante | tendências-do-varejo