Geral

O valor do caixa para momentos de crise


15 de Junho de 2020

Escolhi esse tema pois gostaria que todos parassem para pensar e colocassem a construção do caixa da sua empresa como um dos principais objetivos para os próximos anos após sairmos desse cenário que estamos vivendo.

Em março, todos foram altamente impactados pelas decisões de fechamento do mercado em função do Covid 19. Os fechamentos foram feitos de forma abrupta, sem dar chance para ninguém se preparar para um cenário adverso como o que estamos vivendo.

Passados os dias de implementação do fechamento, um novo cenário começou a aparecer rapidamente, com faturamentos com quedas expressivas e alguns sem faturamento, as contas chegando e a responsabilidade com os colaboradores para que todos pudessem ser amparados da melhor forma possível.

E, neste cenário, uma realidade ainda mais dura apareceu, a situação financeira para superar esse novo momento que se mostra sem um prazo para acabar. Obviamente que cada negócio tem a sua história, mas uma coisa todos deveriam ter, um caixa. 

O caixa é o seguro para momentos difíceis. Porém, nem todos tem a visão da importância de fazer uma reserva consistente para superar momentos de incerteza por qualquer razão que possa a vir a acontecer.

Quem se preparou ao longo dos anos e agora possui reservas financeiras na empresa, está encarando a sua sobrevivência e a volta aos negócios com muito mais consistência e segurança.

Um bom planejamento financeiro é fundamental para passar por momentos como esse. Fazer com que sua empresa tenha uma independência financeira sobre a pessoa física dos sócios é o primeiro passo na jornada para construir um caixa relevante para o seu negócio.

Em nosso negócio, estamos acompanhando os franqueados e posso dizer com clareza que aqueles que se preocuparam em construir o seu caixa estão passando por esse momento de forma muito mais segura que os demais.

Para a empresa ter um caixa consistente demanda planejamento, pois não se constrói reservas em um curto período de tempo. Esse deve ser um objetivo de longo prazo e necessita uma disciplina financeira rígida para que mensalmente ou em um período definido, parte do resultado seja alocado em um conta ou aplicação específica da reserva.

O tamanho do caixa deve ser um dos objetivos do proprietário ou dos sócios e a referência pode ser o valor dos seus custos mensais. A partir dele se define quantos meses ou anos se quer ter de segurança. 

Outro objetivo pode ser em função de eventuais reformas e investimentos que necessite fazer no futuro. Com um valor como objetivo, é necessário definir um percentual do resultado para ser direcionado para o caixa.

Isto demanda abrir mão de uma parte dos resultados que seriam distribuídos aos sócios para garantir a segurança da empresa. Mas em momentos de dificuldade eles farão uma diferença vital.

Voltando ao nosso cenário, com a queda de faturamento e a necessidade de se manter os sinais vitais de cada negócio, quem estava com suas reservas em dia está precisando buscar um menor nível de ajuda externa, ou seja, um endividamento seja com bancos, governos ou qualquer tipo de órgão externo.

Imaginando que a retomada será mais fraca pelo menos ao longo deste ano, todos precisarão se adaptar a um novo cenário de faturamento e custos. Mesmo aqueles que consigam sobreviver ao período do fechamento do comércio, mas voltem com um nível de endividamento alto, terão muito mais dificuldade de manter o seu negócio, encarando uma situação mais adversa e demandarão um período mais longo para ver os resultados retomarem aos níveis anteriores. 

Assim, na situação atual, o caixa está fazendo uma diferença enorme para quem se preparou ao longo de anos. Sem dúvida, essas empresas voltarão com mais fôlego e poderão aproveitar as oportunidades que certamente irão aparecer para buscar um crescimento mais acelerado.

Como sempre se fala, as crises apresentam oportunidades para aqueles que entram nelas preparados. Essa pandemia será mais um grande exemplo. Espero que este seja um dos grandes aprendizados para todos os negócios, a importância de se ter um caixa consistente para enfrentar situações adversas.

O momento agora é de sobreviver e passar por mais essa crise, mas assim que voltarmos ao normal não esqueça de colocar como uma das principais metas a construção e a manutenção de um caixa consistente para o tamanho do seu negócio.

Tags: artigo | Coronavírus | Covid-19 | Marcelo Amarante | isolamento social | crise econômica