Geral

Dividir para multiplicar


20 de Fevereiro de 2020

Ao longo da minha jornada profissional este foi um tema que sempre se comprovou como o melhor investimento para o alcance de resultados extraordinários. É a cultura do "DIVIDIR PARA MULTIPLICAR".

Na minha atual jornada podemos ver muito claramente como o desenvolvimento das pessoas pode mudar tanto a sua vida pessoal como a profissional. 

Temos inúmeros exemplos na empresa de como as pessoas se transformaram com a sua profissão, melhorando sua vida pessoal por meio da melhoria financeira e emocional e também como evoluem intelectualmente com uma boa carga de treinamentos na função e com um bom acompanhamento do seu gestor.

É impressionante como pessoas mudam um cenário. Gente boa atrai gente boa e cria um ambiente de superação, melhoria e aprendizado constante. 

Em nossa empresa temos vários casos de turnaround de restaurantes simplesmente acertando a equipe seja com treinamento, recrutamento e motivação do time.

Um grande desafio de um bom líder é saber identificar seus talentos e saber identificar os pontos fortes e fracos de seus colaboradores para saber como melhor distribuir suas metas, como ter os melhores resultados de cada um e poder montar de forma mais eficiente a sua equipe.

Outro ponto relevante é a transparência na conduta, com bons exemplos e atitudes, garantindo que todos estejam na mesma sintonia dos objetivos a serem atingidos. 

Desta forma, cada integrante sente-se à vontade para propor soluções, sentem-se ouvidos e sabem como devem agir. 

E para mim um ponto extremamente relevante para o desenvolvimento das pessoas é que tenham espírito de dono. Sem a cultura de DONO DO NEGÓCIO a cultura do DIVIDIR PARA MULTIPLICAR perde muito do seu impacto. E para que isto se desenvolva nos colaboradores temos que fazer se sentirem realmente donos do seu negócio. 

E isto se materializa de 2 formas:

1 - Com a divisão dos lucros da empresa entre seus colaboradores com base em metas claras e quantificáveis e com um critério transparente de premiação.

2 – Transformando seus talentos em sócios do negócio.

Não é uma decisão fácil para o dono da empresa ter que dividir seus lucros, mas posso afirmar com a certeza de quem já viveu muito esses dois sistemas acima, que potencializa a empresa de forma exponencial.

Além disto este é um processo de longo prazo, pois isto é uma grande mudança de cultura nas empresas. 

Para o espírito de dono começar a estar presente na empresa estimo uma média de 3 ciclos de avaliação de metas para que os colaboradores realmente entendam e incorporem o potencial dos resultados atrelados a uma remuneração extra. 

Outra questão é a seleção de talentos para se tornar sócio, que também é necessário um longo período para definição das pessoas corretas, pois precisam apresentar resultados consistentes, alinhamento com a cultura da empresa, excelente relacionamento com os colaboradores e visão de longo prazo.

A cultura de DONO e do DIVIDIR para MULTIPLICAR tem que ser uma determinação dos donos da empresa, pois requer investimento de tempo no desenvolvimento de pessoas, em comunicação contínua das regras de metas e sociedade, disseminação da cultura e de exemplos dos sócios na conduta dos negócios.

Sendo bem sucedido na cultura DIVIDIR PARA MULTIPLICAR, o mais gratificante de todo esse ciclo é poder ver sua equipe evoluindo, crescendo junto com a empresa, transformando suas vidas pessoais e de sua família e mudando de patamar como profissionais e cidadãos.

Tags: artigo | marcelo-amarante | mercado-corporativo