E o e-commerce chegou de vez na alimentação!!

08/06/2019


O setor de alimentação fora de casa sempre foi um dos menores no percentual das vendas de e-commerce comparado com os compras no varejo tradicional.

Porém, nos últimos anos o delivery pedido via app vem crescendo exponencialmente.

Com o iFood, Rappi e Uber Eats aconteceu uma ruptura neste mercado e no hábito da população. O delivery que até então era bem restrito e dominado pela pizza, com os apps, houve uma ampliação do sortimento tanto de restaurantes como tipos de alimentação.

O que vemos hoje é uma invasão de motoboys e ciclistas nas ruas entregando comida a todo momento e em todos os dias.

Porém, este novo mercado ainda está em formação e muitos capítulos ainda estão para acontecer. Neste curto período já se nota no varejo algumas dores. A primeira são as altas taxas cobradas pelos apps tanto para o pedido como para a entrega dos restaurantes.

Outra é a logística, suportada em um mão-de-obra pouco qualificada para fazer um bom atendimento. E por último, uma concentração em 3 players que estão em uma briga ferrenha para se posicionar no mercado.

Dentro dessas três principais dores, sem dúvida, vão aparecer players que irão ocupar esta lacuna e abrir novas oportunidades de negócios.

Na área da logística já vimos um novo player entrando forte no mercado. O Delivery Center, startup que se propõe a se especializar na entrega e prestar um serviço de qualidade superior tanto no relacionamento com o restaurante como na eficiência na entrega para o cliente.

O Delivery Center tem como investidores grandes nomes, como BR Malls e Multiplan, as duas maiores empresas de shopping do Brasil, o grupo Trigo dono da marca Spoletto e o Galló, ex CEO da Renner.

O foco do Delivery Center será posicionar sua central de entregas nos shoppings e usar a praça de alimentação como um grande hub de cozinhas. Os pedidos dos clientes continuam sendo recebidos pelos 3 app de delivery, porém, a entrega fica a cargo do Delivery Center.

Quanto às taxas, como são bem altas, sem dúvida vão criar oportunidades para novos players entrarem nesse mercado. Já vimos alguns shoppings criando seus app de pedido de alimentação, as grandes redes também desenvolvendo suas próprias plataformas e novas startups começando a olhar para esse mercado. Sem dúvida a concorrência vai se acirrar bastante nos próximos anos.

E por último, ainda é necessário entender qual o tamanho desse mercado, pois apesar de crescer exponencialmente nos últimos anos e os apps estarem recebendo investimentos milionários de todas as partes do mundo, o que vimos é que boa parte deste dinheiro vai para promoções muito agressivas para captar clientes.

Estamos vivendo uma verdadeira guerra para captar e fidelizar o cliente com muitas promoções e descontos, sejam em cupons e ações no ponto de venda.

Desta forma, o mercado está sendo subsidiado pelos apps para fazer o mercado do delivery crescer e virar hábito, porém e quando todas essas promoções acabarem e os preços passarem a ser os normais de mercado acrescido das taxas?

Sem dúvida o delivery na alimentação veio para ficar. A facilidade que a tecnologia vem proporcionando para o e-commerce crescer em todos os segmentos também chegou ao mundo da alimentação.

Agora, todos os restaurantes estão correndo para prestar um bom serviço e garantir uma boa experiência para o cliente, desenvolvendo embalagens que mantenham a qualidade da alimentação durante toda a viagem da entrega.

Os próximos capítulos do delivery com certeza serão muito interessantes. Vale a pena acompanhar este negócio, pois tem muito a acontecer. O mercado de alimentação é gigante e muitos estão querendo abocanhar uma parcela desta nova receita.

 

Por Marcelo Amarante.

TAGs: artigo e-commerce marcelo-amarante