Seja um eterno enamorado da vida!

12/06/2019


No mundo todo, diversas datas são comemoradas todos os meses, são dias de homenagem às mães, pais, profissionais, elementos da natureza, ocasião religiosa, personalidades importantes e personagens históricos, mas uma das celebrações que sempre gostei de trabalhar nos shopping centers é a do Dia dos Namorados, pois é uma homenagem às pessoas que de alguma forma acreditam no amor. Mas o amor sincero, aquele ato genuíno de querer bem, de se preocupar e de ser o bem para o próximo.

Esta data possui diversas origens, algumas bem curiosas, outras envolvendo fatores econômicos e crendices populares.

Nos Estados Unidos, o Dia dos Namorados é comemorado em 14 de fevereiro e se chama Valentine’s Day ou Dia de São Valentim.

Essa expressão surgiu como influência de uma história ocorrida na Roma antiga. Um bispo chamado Valentinus desafiou a lei que proibia o casamento entre jovens estabelecida pelo  imperador Claudius II em 270 a.C. O Imperador queria reduzir a quantidade de homens casados para ter mais soldados em suas legiões.

Insatisfeito com a proibição, o bispo Valentinus continuou a realizar os casamentos, porém escondidos. Ao ser descoberto, foi preso e condenado à morte. Na prisão, Valentinus se apaixonou pela filha do carcereiro, uma moça cega. Consternado, meditou e orou pedindo um milagre para a moça voltar a enxergar. Antes de ser decapitado escreveu uma carta para sua amada ler. Na carta, lia-se - do seu Valentinus (“from your Valentine”).

No Brasil, o dia teve uma origem comercial, em 1948, quando a rede de lojas Clipper percebeu que durante o mês de junho sempre ocorria uma queda nas vendas.

A empresa contratou o publicitário João Dória, que teve a ideia de adaptar o Valentine’s Day, escolhendo o dia 12 de junho para as comemorações, com o slogan “Não é só com beijos que se prova o amor”, o que alavancou as vendas da loja e criou a tradicional troca de presentes da data.

A data não foi escolhida por acaso; como as mulheres, esperançosas na busca de um amor, homenageiam o Santo Antônio, o “santo casamenteiro”, no dia 13 de junho, ficou a escolha do Dia dos Namorados para um dia antes destas homenagens ao santo do amor.

Se estas pessoas já acreditavam no poder transformador do amor, por que nós não podemos demonstrá- lo com troca de presentes, sem dor na consciência?

O importante é buscar o equilíbrio em um mundo de extremos: da preocupação com o meio ambiente aos novos formatos de consumo, da epidemia de solidão à celebração da individualidade, da busca por mais privacidade à digitalização de nossas vidas... Como conciliar estes conflitos?

Acredito que os shopping centers e o varejo devem se deparar com este grande desafio em todas as suas ações promocionais, e, neste caso, o live marketing pode ser inspirador. O que temos certeza, é que as certezas envelheceram, no entanto, a celebração do amor pode e deve ser mantida.

Feliz Dia dos Namorados, para todos que têm o poder de amar, a começar pelo amor a si próprio. Se dê um presente neste dia. Ame-se também, seja enamorado de você.

 

Por Marcia Saad.

TAGs: artigo dia-dos-namorados marcia-saad