Rio de Janeiro a Janeiro tem 678 novos projetos inscritos

27/12/2017


Um total de 678 projetos se candidatou a entrar para o calendário de eventos que pretende revitalizar a economia do Rio de Janeiro em 2018. O calendário faz parte do Programa Rio de Janeiro a Janeiro, liderado pelo Ministério da Cultura (MinC) em parceria com outros ministérios (Desenvolvimento Social, do Turismo e do Esporte), governos do estado e do município, iniciativa privada e empresas estatais e sistema "S".

Foram cadastrados principalmente eventos culturais (81%), mas também esportivos (13%) e corporativos (6%). Quase a metade dos projetos são referentes a eventos inéditos. A maior parte dos projetos se refere a eventos na capital (63%), mas 32% é direcionado ao interior, e 4% à região metropolitana.  

"O resultado das inscrições superou a expectativa e demonstra o quanto o programa foi reconhecido e valorizado pelo setor de eventos do Rio de Janeiro", avaliou o ministro. "Estou bastante otimista que vamos conseguir gerar os resultados esperados para o estado e para a população fluminense. Este número também demonstra a força que o setor de eventos, de cultura, de economia criativa, de esporte tem no Rio." 

Inscritos no Portal da Fundação Getúlio Vargas (FGV) entre 16 de novembro e 15 de dezembro, os projetos agora serão avaliados pela fundação, com base no impacto turístico, na atração de investimentos, na geração de emprego e renda, na inclusão social e no potencial de continuidade e expansão. Os selecionados serão anunciados no fim de janeiro e se unirão aos 93 eventos já incluídos no Programa em uma primeira fase de seleção. Não há número máximo de eventos para entrar no calendário.

Os empreendimentos que receberem a chancela do Rio de Janeiro a Janeiro poderão ter apoio das leis federais de incentivo à cultura e ao esporte, além de patrocínio de empresas estatais. Será disponibilizado um total de R$ 1 bilhão (todos os apoiadores), sendo R$ 150 milhões do governo federal. 

O impacto cultural, social e econômico dos eventos será mensurado pela FGV, que vai acompanhar o desenvolvimento dos projetos, com relatórios trimestrais e uma avaliação final.

O programa foi lançado em setembro deste ano, visando estimular a expansão de eventos tradicionais no Rio e viabilizar novos projetos capazes de atrair investimentos e turistas. O objetivo é criar oportunidades de emprego e renda no Rio de Janeiro, considerando sua vocação para as atividades criativas e o turismo.
 
O Rio de Janeiro é a porta de entrada dos turistas no Brasil. Segundo estudo da FGV, um incremento de 20% no fluxo de turistas tem impacto de R$ 6,1 bilhões na economia do estado e gera 170 mil novos empregos.

As atividades criativas respondem por 3,9 % do Produto Interno Bruto (PIB) fluminense e o turismo, por 4%.
 

Fonte: Redação