Se você se deparar neste fim de semana com alguém fantasiado pelas ruas de Belo Horizonte, não se assuste. Ele deve estar a caminho do Minascentro, que recebe, sábado (20) e domingo (21), a 40ª edição do Anime Festival Party, evento dedicado aos animes, mangás, quadrinhos, games e cultura geek.

Festival de anime toma conta do Minascentro

20/05/2017

Se você se deparar neste fim de semana com alguém fantasiado pelas ruas de Belo Horizonte, não se assuste. Ele deve estar a caminho do Minascentro, que recebe, sábado (20) e domingo (21), a 40ª edição do Anime Festival Party, evento dedicado aos animes, mangás, quadrinhos, games e cultura geek.

O festival começou há 13 anos na cidade. O interesse pela cultura pop japonesa é tão grande que, atualmente, o evento é realizado de três em três meses em BH. Em média, as edições mais recentes atraído levado 5 mil pessoas. Com uma periodicidade tão grande, cada edição tem que trazer novidades ou o público pode perder o interesse.

Uma delas é a vinda do dublador Alfredo Rollo para o evento. Nunca ouviu falar? Pois ele é a voz dos personagens Brock, de Pokemon; Vegeta, de Dragon ball e Aoshi, de Samurai X. Outra voz bem conhecida dos fãs do gênero é Wendel Bezerra. “Ele já esteve três vezes em BH, mas o pessoal está sempre pedindo”, conta César Ikko, organizador do festival. Bezerra faz tanto a voz de Bob Esponja e de Goku, do Dragon ball, quanto a do vampiro Edward, da franquia Crepúsculo.

O Anime Festival tem um pouco de tudo. Vinte lojas de São Paulo montam estandes no local, incluindo a Comix Book Shop, a maior gibiteria do Brasil. “Como eles compram uma quantidade grande de mangás, conseguem vender a um preço melhor para o público”, conta Ikko.

Os quadrinhos, especificamente os produzidos no país, ganham um bate-papo no domingo – os produtores do mangá Japow e Kimera, do Estúdio Sesi-Quanta, se encontram com a plateia. Para quem estiver a fim de jogar, há torneios de Pokemon (Card Game e Nintendo DS), Card Game Marvel, partidas de RPG e até mesmo uma batalha medieval (com os participantes se digladiando em uma arena). Haverá ainda exposição de produtos medievais e exibição de 200 animações.

Agora, não há como negar que a cereja do bolo é o próprio público. Ikko contabiliza, a cada edição, pelo menos 300 pessoas fantasiadas. No domingo, mas na parte final do evento, ocorre o campeonato de cosplay. A premiação dá direito a troféu para os três melhores. Mas nem todo mundo concorre. “Isto porque tem gente que morre de vergonha de subir no palco. Em média, só uns 50 vão para o palco. O resto do pessoal vai mesmo é para fazer foto”, conta.


Fonte:: Assessoria