Grupo Mulheres do Brasil coloca em ação o "Tocando no Assunto"

20/11/2018


Para dar início as atividades deste mês, o Vídeo de Animação, idealizado pelo comitê, e disponível (on-line), a partir do dia 20/11, nas redes sociais do Grupo Mulheres do Brasil, reúne informações importantes sobre a data: como foi criado o Dia Nacional da Consciência Negra, a fundação do Grupo Palmares, em 1971, e a homenagem ao líder do Quilombo dos Palmares.

Na mesma semana, quinta-feira, 22, acontece na Unibes Cultural o lançamento da primeira edição da Cartilha de Conscientização. Participam do evento Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza e Alexsandro Santos, doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e autor do texto "A Educação das Relações Étnico-Raciais e a Superação do Racismo, que integra a cartilha e nos faz refletir sobre a desconstrução de visões equivocadas que inferiorizam, desqualificam e demonizam os povos africanos e seus descendentes. Assina, também, um dos textos sobre ética, justiça, respeito e solidariedade a filósofa e doutora em Educação, Teresinha Azerêdo Rios. Inscrições para o evento aqui.

Mas não para por aí. No dia 13/12, novamente na Unibes Cultural, será realizado o Fórum Igualdade Racial – Os Novos Desafios do Mercado de Trabalho, Inovação e Inclusão, debatendo temas importantes sobre a mudança que queremos ver no mercado corporativo e como será esse país para a mulher negra no século XXI.

Aproveitando a oportunidade de fomentar discussões importantes com executivos e lideranças, e mostrar que não basta contratar, é preciso integrar, o comitê produziu uma série de vídeos curtos para abordar a temática de janeiro a janeiro, não só em novembro.

A proposta é que a websérie seja destinada à pessoas de todas as classes sociais, mas também abordando temas específicos, como no Episódio 1: Racismo Institucional e Racismo Estrutural, exibido no evento. Podendo ser veiculada tanto em ambiente corporativo/empresarial, como, em meios que abrem espaços para a divulgação de produções independentes. Estes meios são canais, instituições e festivais que se preocupam com questões raciais, sociais, culturais e educacionais.

O Comitê de Igualdade Racial desenvolve ações afirmativas voltadas à desigualdade racial e ao abismo social existente, abrindo caminho, de certa forma, para que mulheres negras se sintam representadas em diversos setores.

Fonte: Redação Promoview.