Dia 30 de Abril, dia do Profissional de Eventos. Deu Jacaré na cabeça

01/05/2018


No dia 30 de abril, comemoramos, no Brasil, o Dia do Profissional de Eventos.

Por falta de uma memória que reverencie, com justiça, nossos grandes nomes, pouca gente sabe porque comemoramos, nesse dia, a data de profissionais tão importantes.

Resolvi, nesse texto comemoração, mostrar a razão da data e homenagear grandes nomes do nosso mercado.

No dia 30 de abril de 1926, nascia, em São Paulo, o grande Caio de Alcântara Machado, um idealista, um gênio. Caio foi publicitário e criador das feiras industriais de negócios no Brasil. Implementador do M.I.C.E. e do nosso negócio, praticamente.

Homem da Comunicação,fez um programa de rádio, o Parada de Sucessos, na rádio Excelsior e fundou a primeira agência de publicidade, de capital totalmente brasileiro; a Alcântara Machado Publicidade, hoje , a vitoriosa, AlmapBBDO

Mas foi em 1958 que surgiu sua primeira grande feira, a Feira Nacional da Indústria Têxtil (Fenit), no Pavilhão Internacional do Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

Daí, vieram outras feiras industriais de negócios como as Feiras da Mecânica, de Utilidades Domésticas - UD -, o Salão Anhembi, o Salão da Criança...

O Pavilhão Internacional começou a ficar pequeno para as feiras do Caio. Então, depois de muitos esforços, idas e vindas do nosso Caio, e muitos esforços, foi feito um projeto contendo dois pavilhões de exposições, Palácio das Convenções e um hotel, para atender ao turismo de negócios

Esse complexo de construções viria se chamar Centro Interamericano de Feiras e Salões, mais conhecido como Parque Anhembi, hoje. 

Em 2001, Caio foi homenageado pela Escola de Samba Sociedade Rosas de Ouro, com o samba-enredo Quem plantou o palco, hoje é o espetáculo,pelo menos nesse meu texto o é, mais uma vez.

Também é em sua homenagem a criação de um Grande Prêmio de Eventos e Turismo do Brasil, que adotou seu nome e é hoje considerado o maior do País: o Prêmio Caio.

Todos deviam saber disso.

Nomes como Sergio Junqueira, Elza Tsumori, Sylvia Mangabeira, João De Simoni, José Victor Oliva, Toni Sando, e, no Rio de Janeiro, o grande Péricles de Barros, o homem do Projeto Aquarius, do Estandarte de Ouro e autor do Hino ao Papa João Paulo II, do refrão que todos cantam: “À benção João de Deus.”

Homens e mulheres que dignificaram e ainda dignificam nossa profissão, fizeram-na existir, e nos abriram as portas, cujas chaves precisamos, ainda, saber manejar.

A todos os amigos, produtores, criativos, planners, gestores de eventos, ao pessoal de turismo, tão próximos da gente, ao pessoal dos Conventions, da Abeoc e da Ampro, minha casa, um brinde.

Proponho que o dia 30 de abril desse ano seja o primeiro de muitos a serem comemorados como só nós sabemos fazer, com um grande evento, lembrando Caio com muito conteúdo, palestras e informação resgatando nossa história.

Sugiro o evento; Memória de Eventos e Turismo – Um passo no passado para um grande salto para o Futuro. O GEA da Ampro, desde já, diz presente. Não é Andréa Prochaska e PatríciaSegatto?

Por falar nisso, Sergio Junqueira, como diria o Caio: “Um dia vai dar Jacaré!”

Na verdade, já deu pra toda essa gente dourada. Deu o Caio, de Ouro.