Quais fachadas de estande mais fazem sucesso em feiras?

08/11/2018


As feiras de negócios são uma excelente oportunidade para prospectar novos clientes e divulgar sua marca e empresa.

É por isso que o design do estande é muito importante, um dos elementos que influenciam muito nesse momento é a testeira do estande, a fachada.

Podemos considerar que a função principal da testeira é possibilitar que o visitante do evento reconheça rapidamente a empresa expositora.

Estruturalmente são dois os tipos de testeiras que existem: as aéreas que são sustentadas por cabos de aço e as autoportantes que fazem parte da própria estrutura do estande, mas as opções de design são muitas.

Veja agora as características dos principais tipos de testeiras.

Testeiras Redondas ou Circulares

As testeiras com acabamento arredondado costumam trazer um aspecto mais moderno ao estande, dispensam as linhas duras e retas comumente usadas e são uma ótima oportunidade para chamar a atenção através de inovação e design.

Um ponto a ser observado para esse tipo de testeira é que elas exigem um pouco mais de atenção no acabamento, um dos materiais mais utilizados no acabamento de estandes é a Napa, um tecido sintético de fácil aplicação, porém, por ser um tecido nem sempre se dá muito bem com estruturas arredondadas.

Uma outra opção de acabamento para essas estruturas é a pintura, o porém é que nem sempre cabe no orçamento.

Testeiras com detalhes de Iluminação

Outra opção é investir na iluminação. As testeiras por si só já costumam ser iluminadas, certifique-se que os logos estão iluminados e que caso tenha iluminação direcionada para o interior do estande que  não incomode ao visitante.

Painéis de LED nas testeiras são uma tendência. O painel de Led emite muita luminosidade, o que chama a atenção do visitante. Se o painel de Led for pequeno, ate 6 metros quadrados, use-o para transmitir a logomarca da sua empresa, alternando com uma ou duas marcas. Aqui a dica é cuidar com o conteúdo, dificilmente as pessoas ficarão paradas no corredor assistindo algum material.

Uma dica bacana e até mais acessíveis são logos iluminados, imagens retroiluminadas, podemos ainda pensar em detalhes em luz de LED ou até mesmo uma faixa que percorra a testeira inteiramente.

Já pensou em criar um aplicativo para seu evento onde o visitante possa trocar as cores que iluminam a sua testeira?

Testeiras Integradas ao Design

Uma opção que cresce aos olhos do visitante são as testeiras que conseguem se integrar design do estande tão bem que seu equilíbrio visual é por si só motivo suficiente para parar e apreciar.

Combinado com outros elementos visualmente divertidos o estande se transforma numa atração.

Testeiras com Vitrines
Como usar o espaço num estande é, provavelmente, um dos tópicos mais importantes no planejamento.

As necessidades variam e por vezes é preciso investir na criatividade para encontrar soluções que permitam que uma área dê conta de todas as necessidades de exposição do expositor. Para empresas que necessitem de muito espaço para expor seus produtos encontrar a resposta certa pode ser um desafio.

Uma sugestão aqui é usar as estruturas de suporte da testeira como vitrine.

A dica geral é: busque equilíbrio. Tenha em mente que é importante que a testeira siga o design do estande e que independente do que você escolha fazer com ela, ela sempre precisa cumprir sua função principal: possibilitar que sua empresa seja facilmente identificada.

Aquele ditado de “menos é mais” pode ser aplicado aqui, muita informação na testeira pode confundir e causar estranhamento no visitante, num ambiente tão competitivo como uma feira isso pode ser fatal.

Outro ponto que pede atenção é a altura da testeira. Observe o tamanho do estande, o tamanho dos corredores da feira e as construções vizinhas.

Nem sempre usar a altura máxima permitida faz sentido, estandes pequenos com formatos de box ou esquina, requerem testeiras baixas, altura ideal de 3 a 4 metros. Estandes maiores a 60 metros, com formatos de esquina, ponta de ilha ou ilha pode-se aproveitar a altura máxima permitida.

Fonte: Por Daniel Reyes, do Grupo de Eventos