O que vem por aí - minhas apostas

15/12/2019


No recesso entre Natal e ano novo viajei e levei comigo o livro “21 lições para o século 21”, do Yuval Harari. Nele, o historiador apresenta, através da sua bolha e seu ponto de vista, o que alguns de nós e nossos filhos poderemos viver nos próximos anos.

Genial como é, em pouco menos de 350 páginas o autor fala sobre tecnologia, terrorismo, nacionalismo, religião, mercado de trabalho, inteligência artificial, entre outros. No capítulo sobre mercado de trabalho, tenta prever as profissões que deixarão de existir (pelo menos como são hoje) nos próximos anos. Na visão dele, uma das primeiras a morrer será a nossa: a publicidade, além de toda e qualquer comunicação com foco em vendas.

Pessoalmente concordo com ele, mas não vou me ater nisso neste primeiro artigo para o Promoview em 2020. Que tal, aproveitando este meu momento “prever o futuro”, tentar colocar no papel as tendências de algumas coisas que acredito que iremos viver neste ano que começa agora? Vamos lá.

Busca de voz: Isso não é tanto tendência, já que diversos estudos e pesquisas nos mostram que a cada dia que passa pesquisamos mais informações na internet por voz. Pra que digitar, né? Nosso telefone, relógio de pulso, televisão, central de mídia automotivo e assistentes virtuais estão ai para isso.

Segmentação: Por conta do digital ficou mais simples segmentar públicos para campanhas. As mídias sociais, por sua vez, aproximaram com ainda mais força as pessoas com mesmos interesses, fazendo com que elas criassem seus ambientes também off-line. Com isso, ações promocionais poderão, cada dia mais, falar com estes públicos de forma cada vez mais segmentada.

Experiência: Quanto mais o digital ganhar força, mais importante se tornará o relacionamento frente a frente, fisicamente, com os clientes. Experiência de marca se tornará ainda mais fundamental, e marcas continuarão investindo nisso, possivelmente colocando mais budget em eventos proprietários.

Eventos Proprietários: Acredito que, com tantas marcas e empresas investindo em relacionamento com o cliente, contar com sua marca em destaque em eventos proprietários passará a ser mais presente no nosso mercado. Empresas, inclusive de média porte, deverão investir em eventos produzidos pela sua marca.

Conteúdo Pago: Com tanto conteúdo disponível na internet, já notamos maior investimento do consumidor final em conteúdos pagos online. Podem ser cursos longos, treinamentos rápidos, livros ou acompanhamento da vida de influenciadores digitais. Pagar por conteúdo de qualidade, desde que barato, deverá ser o futuro.

Mais forma que conteúdo: Sim, parece que estou indo contra o que escrevi anteriormente, mas não. Enquanto muitos deverão pagar para ter acesso a conteúdo de qualidade, ainda teremos quem seja impactado por forma, fazendo com que jargões e chamadas tabajaras de vendedores digitais continue fazendo efeito.

E ai? Que mais vem pela frente? Me ajuda nesta listagem!

TAGs: artigo joão-riva