Canal
Regional

Turismo nordestino recebe ajuda do BNB

Por: Mariama Correia/Folha de Pernambuco. 29 de Dezembro de 2015

Empresas de turismo poderão contar com R$ 1,16 bilhão para financiamentos de projetos de expansão, construção, reformas, modernização e aquisição de bens e serviços em 2016. O montante supera os R$ 412 milhões emprestados de janeiro a outubro deste ano, segundo os dados mais atualizados do Ministério do Turismo (MTur).

Para Pernambuco estão programados R$ 180 milhões, disponibilizados pelo Banco do Nordeste (BNB) dentro do Programa de Apoio ao Turismo Regional (Proatur), com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). 

Foto: Reporudção/Ultradownloads.
Praia Boa Viagem, Recife (PE).

Apenas para o Nordeste serão destinados R$ 700 milhões, a maior parte dos aportes compostos por Fundos Constitucionais (FNE, FCO e FNO). O secretário nacional de programas de desenvolvimento do Ministério do Turismo, Neuvaldo Lima, informou que o valor contemplará construção de hotéis, parques temáticos, pousadas, centros de convenções, entre outros projetos turísticos na região.

“Este ano, o BNB repassou cerca de R$ 3 bilhões em financiamentos para o desenvolvimento da atividade no Nordeste.”, detalhou o executivo.

A abertura de crédito é um incentivo relevante ao setor diante de um cenário de enxugamento de investimentos na administração pública e de desaquecimento econômico, considerou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-PE), Artur Maroja.

Este ano, a hotelaria pernambucana sofreu queda de 10% no faturamento em relação a 2014. “No Recife, onde o turismo de negócios é forte, houve uma retração substancial de 30% este ano.”, completou Maroja.

As linhas de financiamento estarão disponíveis a partir do primeiro dia útil de janeiro, de acordo com o superintendente estadual do BNB, Marcílio Morais. Para ter acesso, o empresário interessado deve se dirigir a uma agência do banco e preparar uma carta consulta seguindo o modelo solicitado pela instituição.

Um comitê julgará quais projetos serão contemplados. De acordo com o MTur, os fundos cobram juros a partir de 12% ao ano e o prazo de finan­­­ciamento chega a 20 anos. “As condições vão depender de cada contrato”, detalhou Morais.

Tags: