Canal
Regional

Seagate conquista o Pantanal Pro Adventure Race

Por: Assessoria. 1 de Dezembro de 2015

Cotada como uma das favoritas para vencer o Campeonato Mundial de Corrida de Aventura de 2015 - Pantanal Pro Adventure Race - a equipe neozelandesa Seagate confirmou as previsões e conquistou o tricampeonato. Foram sete dias percorrendo mais de 600km pelo Pantanal Sul-Mato-Grossense, alternando entre caiaque, mountain bike, trekking e técnicas verticais, sempre por meio da orientação.

Fotos: Alexandre Socci.
32 equipes percorreram mais de 600km pelo Pantanal Sul-Mato-Grossense.

"Foi a prova mais longa que fiz e também uma das mais duras. Foram longos percursos e com muito calor, o que aumentou a dificuldade da corrida. Passamos por vistas espetaculares e os locais mais remotos do Brasil. Para nós, cruzar a linha de chegada em primeiro lugar foi muito especial e ficamos muito felizes.", destacou Sophie Hart, que mesmo exausta após a prova, concedeu entrevistas.

As equipes passaram por pontos remotos do Pantanal, Rio Paraguay e Serra do Amolar, além de locais com poucas referências, o que tornou a navegação um ponto crucial da prova e determinante para o sucesso da Seagate, segundo a atleta.

A Seagate já havia vencido a etapa inicial da Série Mundial deste ano, realizada na Nova Zelândia, e os campeonatos mundiais de 2012 e 2014, além de ocupar a segunda posição do ranking mundial.

Sete horas após a campeã cruzar a linha de chegada, a equipe sueca Team Haglöfs Silva desembarcou no Porto Geral de Corumbá, conquistando a segunda colocação. O capitão Aaron Prince analisou a diferença climática entre o calor do Pantanal e o frio da Suécia e como os atletas se prepararam para o choque térmico e uma longa prova na região. 

Equipe Peak Performance (Suécia) sentiu com o calor, mas completou a prova.

"Saímos do inverno na Suécia e competimos numa temperatura acima de 30º, o que foi uma grande dificuldade para a equipe. Treinávamos em locais fechados, como o meu porão, onde tenho um aparelho de caiaque. O calor foi nosso maior desafio e, por conta disso, tivemos de diminuir o ritmo durante o dia. Andamos em vez de correr em diversos trechos. Mas demos nosso melhor na prova e, mesmo não saindo com o título, fiquei satisfeito com o que fizemos."

Na coletiva de imprensa, realizada logo após a chegada da terceira colocada Safat (Swedish Armed Forces Adventure Team), o capitão John Karlsson atendeu à imprensa ao lado de Aaron e Nathan Fa’Avae, capitães de Haglöfs e Seagate, respectivamente. Ele começou seu depoimento com uma homenagem aos colegas.

"Admiro muito esses dois corredores, Nathan e Aaron. Me inspiro muito neles na hora de correr. Nosso primeiro passo foi a adaptação ao calor, na qual seguimos nossa experiência como militares nas forças armadas da Suécia. Buscamos o melhor planejamento possível, usando nossos recursos e balanceando horas de sono. O estoque de água era vital para seguirmos bem numa competição com este clima, logo nossa navegação também tinha como objetivo encontrar fontes de água potável.", relatou.

Equipe sueca superou a diferença climática e chegou na terceira colocação.

Um consenso entre os capitães foi o fato de que o Pantanal Pro se tornou uma referência na Corrida de Aventura, devido ao seu alto nível de dificuldade e complexidade.

Brasil

Entre os 128 atletas que disputavam o título mundial, 53 eram brasileiros. Destes, cinco estavam em equipes estrangeiras e os demais compuseram as 12 equipes do País no Pantanal Pro. A melhor colocada foi a Kailash QuasarLontra Advogado Aventureiro, que terminou no Top 15.

O Pantanal Pro Adventure Race, é um evento proprietário da Liga Outdoor e conta com o patrocínio da Fundtur, Governo de Mato Grosso do Sul e Sectei - Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação. Apoio do Ibama, Sesc, Prefeitura de Corumbá, Neptunia Seguros e Água de Coco Obrigado.

Os fornecedores oficiais são: Mitsubishi, Kailash e Náutika. Parceiros de mídia: Go Outside, Rádio Eldorado e Rádio Estadão. Parceiros: IHP e Rede.

Tags: