Canal
Regional

Feisma contará com 300 estandes distribuídos em cinco pavilhões do CDM

Por: Redação Promoview 11 de Março de 2016

A manhã de sexta-feira marcou o lançamento da 29ª edição da Feisma 2016, organizada pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism) e a Prefeitura Municipal de Santa Maria, que ocorrerá de 29 de outubro a 6 de novembro, no Centro Desportivo Municipal (CDM).

“A feira é uma amostra do que o município reúne de melhor. A Feisma é de todos nós”, disse o presidente da Cacism, Rodrigo Decimo. Porém, o empresário ressalta dificuldades na captação de recursos financeiros para a realização do evento. “Pelo momento que vive o país estamos com algumas dificuldades para buscar patrocínios, principalmente, junto ao governo federal”.

Em 2014, data da última edição da Feisma, que ocorre a cada 2 anos, a organização arrecadou R$ 450 mil em patrocínios. Em 2016, a projeção é de apenas R$ 150 mil. Uma das medidas adotadas para tentar amenizar a falta de patrocínios é o aumento de R$ 2 no valor do ingresso. Antes custava R$ 10, agora será R$ 12. Já o passaporte para todos os dias de feira custará R$ 17.

A Feisma 2016 vai disponibilizar mais de 300 estandes, distribuídos em cinco pavilhões e na praça central, em um total de 9.500m² de área. Neste ano, não haverá o Pavilhão da Inovação, nem o Salão do Automóvel. A média de público visitante nas últimas edições ultrapassou os 100 mil.

“É uma feira de importância muito grande para Santa Maria e região central. Ela não é uma feira de negócios, mas de expositores”, destaca o coordenador do evento, Luiz Fernando Pacheco, ex-presidente da Cacism.

Para o prefeito Cezar Schirmer, a feira é uma oportunidade para colocar o que Santa Maria reúne de melhor na vitrine. “É uma forma de mostrar nossas potencialidades. Sempre fomos parceiros desde o começo da minha gestão”, ressalta o chefe do Executivo.

 

Ele salienta que a proposta é antecipar a divulgação e as negociações para a captação de receita que viabilize a realização da Feisma. “Com os contabilistas, por exemplo, queremos debater e encaminhar ações pela Lei Rouanet, pois a Feisma já tem um projeto aprovado na ordem de R$ 300 mil”, explica Décimo.

O dirigente afirma ainda que, devido a projeções econômicas nada favoráveis, principalmente para o primeiro semestre de 2016, é preciso ter definido as fontes de receita com a maior brevidade possível. “Temos que trabalhar para continuar fazendo da Feisma uma excelente oportunidade de divulgação e de negócios”, destaca.

Tags: