Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Quatro razões para o hype do universo virtual da Meta

Por: Redação. 14 de Dezembro de 2021

No começo dos anos 2000, quando muitos tentavam visualizar a década de 2020, o que surgia na cabeça eram carros voadores e androides. Mas em vez de tudo isso, tivemos uma pandemia, distanciamento social e remakes de filmes de má qualidade.

Recentemente, o Facebook (Meta) lançou seu novo projeto em andamento: o metaverso. E muitas pessoas não sabem se este é um sonho tornado realidade ou um completo pesadelo.

O público está desconfiado do universo virtual proposto por Zuckerberg. Apesar de muitas das preocupações serem válidas, um universo alternativo não é só catástrofe e desgraça. Vamos conferir alguns dos aspectos positivos.

Aprendizado imersivo

A Meta permitirá aos usuários obter informações e adquirir conhecimento sobre os tópicos de uma maneira mais visual e interativa do que antes. Assim, por exemplo, se você estiver interessado em história e geografia, poderá viajar para qualquer lugar e período de tempo; a Era Industrial, Grécia Antiga, basta escolher.

 

Gostaria de ver como a América construiu a Casa Branca? A construção da Casa Branca poderá ser vista do zero. Ou, se você for adepto da astrologia, poderá aprender sobre os minuciosos detalhes que compõem cada corpo espacial, procurando visuais em 3D de constelações e planetas.

Se as coisas forem de acordo com os planos da Meta, isto pode ser um salto gigantesco para a tecnologia educacional e os aprendizes visuais.

Melhoria da produtividade

Embora a maioria das pessoas esteja preocupada com o quanto viciante seria o metaverso do Facebook, ele tem algumas aplicações intrigantes relacionadas ao trabalho. Os usuários poderão criar seu próprio ambiente personalizado, o que significa que você pode projetar o espaço de trabalho de seus sonhos. 

Você poderia tirar férias virtuais em Roma ou Bali e trabalhar enquanto desfruta de uma vista exótica das águas azuis e praias brancas. Ou poderia criar um mundo inteiramente virtual onde os peixes voam e os caramujos saltam ou onde não há nenhum animal. Você poderia até recriar seu espaço de escritório e adicionar seus itens favoritos de seu espaço de trabalho real, se quiser.

Depende inteiramente de você moldar seu mundo. Considerando como os ambientes de trabalho influenciam muito a produtividade, esta característica poderia aumentar significativamente a eficiência.

A Meta afirma que os usuários também poderão interagir uns com os outros em torno de projetos compartilhados em um espaço virtual. Embora a mecânica deste conceito ainda não esteja muito clara, é uma coisa legal de se pensar.

Entretenimento

A companhia promete "uma internet materializada onde você está dentro da experiência, não apenas olhando para ela". Parece um paraíso dos games. Os jogadores desfrutarão de uma experiência mais interativa e imersiva, participando de jogos que parecem reais.

Além disso, a transmissão de conteúdo de vídeo se tornará mais agradável conforme a realidade aumentada se funde com a realidade virtual para oferecer visuais mais realistas.

A Meta também menciona a possibilidade de se juntar a seus amigos em shows espalhados pelo mundo. Mas os detalhes técnicos deste conceito são um mistério. No vídeo de divulgação da Meta, o 'participante do concerto virtual' aparece como um holograma de seu verdadeiro eu, e um amigo que está fisicamente presente pode ver e conversar com ela, recebendo respostas em tempo real.

Muitas perguntas surgem sobre a aplicação deste recurso no mundo real. Será que outras pessoas também vêem o holograma? Ou o amigo físico é deixado falando com o vento?

Em uma linha semelhante, a Meta cita uma instância de usuários físicos e virtuais que se encontram para jogar uma partida de basquete. Estas referências de realidade mista são bastante nebulosas por enquanto, mas ainda assim perspectivas intrigantes a serem consideradas.

Comércio

O potencial econômico e comercial do metaverso é enorme. 

Por ser um mundo virtual completo, os usuários poderão montar lojas e adquirir itens para uso não apenas em seus avatares e experiências no Metaverso, mas também no mundo real.

Com o uso cada vez mais difundido de criptomoedas e NFTs, os pagamentos digitais poderiam facilmente se integrar com as aspirações comerciais do metaverso. Mark Zuckerberg mencionou que a Meta está trabalhando em um mercado Horizon, onde os criadores podem vender arte digital 3D e receber lucros.

Mercadoria virtual, ingressos para shows, carros, decoração e casas são alguns dos itens que podemos esperar que sejam criados e vendidos no metaverso. As pessoas podem pagar para assistir filmes em um teatro virtual privado com seus amigos ou explorar cenários online meticulosamente projetados. Além disso, as marcas podem aproveitar esta oferta para criar tokens exclusivos para que seus clientes tenham acesso a uma experiência ou oferta de venda.

O Metaverso será, sem dúvida, uma máquina de fazer dinheiro. Essa é uma previsão bastante razoável com Zuck no comando dos negócios, mas essa é precisamente a parte assustadora se você pensar nisso. O Facebook foi um pesadelo de privacidade, e o gigante da tecnologia abusou de sua vasta quantidade de dados de usuários em várias ocasiões que podemos lembrar.

Tags: metaverso-o-que-e | metaverso-como-entrar | metaverso-do-facebook