Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Backstage Solidário

Por: Redação. 24 de Maio de 2021

Lazzaro Jesus

Quando um artista sobe ao palco para começar um show, a emoção dos fãs é imediata. E para que todos tenham uma boa experiência, com som, luz e efeitos de primeira, há toda uma equipe de profissionais que trabalha no backstage. Foi pensando nessa parcela do mercado que fixou sem atividade com a pandemia, que surgiu a Backstage Invisível, iniciativa que doa há mais de um ano cestas básicas para profissionais da área durante a pandemia do coronavírus

Lazzaro Jesus, que integra a equipe de coordenação do projeto explica qual é a realidade do profissional que trabalha na área e como a informalidade prejudicou muita gente.

“A realidade desses profissionais é a mesma de boa parte dos brasileiros, mas na nossa profissão isso é mais exacerbado. O nosso mercado é extremamente informal. Existem várias profissões novas, então temos um mercado relativamente novo no Brasil e falta esse amadurecimento. É informal. Eu diria que grande parte dos profissionais sempre trabalhou na informalidade. Eu, por exemplo, tenho 30 anos de carreira e durante 20 trabalhei recebendo cachê por show”.

Com isso, explica Jesus, é comum que profissionais de backstage trabalhem contando com o cachê da semana para pagar as contas.

No começo, a ideia era fazer as doações diretamente pelo fornecedor, para evitar as doações em dinheiro. Assim, quem quisesse e pudesse doar alguma cesta, ligaria direto na empresa fornecedora e mandaria entregar ao projeto. Com o tempo, no entanto, a Backstage Invisível adotou outras iniciativas que facilitaram a doação, com QR Code, Paypal, etc.

Nos últimos meses a situação piorou ainda mais, tudo isso ficou de lado e o foco é um só: garantir cestas básicas e colocar comida na mesa das famílias destes profissionais da área

“Quando falamos das pessoas de bastidores de eventos, às vezes acaba abrindo o leque demais. Então focamos mais em profissões específicas do backstage, como técnico de som, técnico de luz, rigger [operação de máquinas], cenógrafo, iluminador, designer de som e luz, carregador, pessoal de camarim, etc. Começando a abrir, entra segurança, que também faz parte, mas atende vários tipos de eventos; garçom também é, mas atende vários tipos. Então tentamos afinar um pouco mais só para o nosso mercado, se não fica muito grande e a ação pode ficar rarefeita”.

Produção da live de Chitãozinho e Xororó foi realizada nos Estúdios Apple e abriu espaço para divulgação do BackStage Invisível

DOAÇÕES DA BACKSTAGE INVISÍVEL

Em um momento em que o mundo sofre com a pandemia e vários setores estão parados, é difícil encontrar espaço para divulgar iniciativas de mercados específicos, como o de eventos. Foi assim durante a live de Chitãozinho e Xororó realizada nos novíssimos estúdios da Apple instalados na Fecomercio em SP. A produção instalou um espaço para o Backstage invisível, Lazzaro Jesus estava lá e conversou com a reportagem do Promoview  

“Conseguimos boa parte das cestas nessas lives, que têm um grande apelo. Eu trabalho com sertanejo e essas lives têm sido enormes. Com eles temos conseguido um suporte de cestas e há várias outras ações. Acho incrível quando uma pessoa me liga e fala ‘quero doar uma cesta’. 

Para doações clique aqui

Tags: profissionais-de-eventos | shows | eu-apoio | euapoio