Canal
Geral

<!--:pt-->Valorize seu ponto de venda e conquiste o mercado<!--:-->

Por: 0 23 de Junho de 2010

O ponto de venda de uma empresa deverá ter a capacidade de estimular o cliente a experimentar o produto e/ou serviço que vende, bem como se ele for muito bom, fazer com que esse novo consumidor retorne ao negócio. Aquele dizer popular que se refere ao “comer com os olhos” é bem aplicado nesses casos por pessoas que entendem que o público deve ser provocado a entrar, a experimentar, a gostar e, por meio de várias estratégias de marketing, tornar-se um cliente efetivo da empresa. Descrevo pontos que considero importante para uma aproximação entre empresa e cliente. - Localização: uma boa localização tem um papel inquestionável no sucesso de uma empresa. É o primeiro item a ser pensado sobre o ponto de venda. O local deverá ser de fácil visualização. Uma padaria, por exemplo, estará melhor localizada quando for aberta em uma avenida e, se tiverem duas vias, escolha a de retorno para o bairro. No início da noite, quando todos estão retornando para suas casas, há uma maior procura por pães, leite e os outros produtos vendidos neste tipo de negócio. Os clientes querem conforto. O estacionamento também deve ser disponibilizado. Hoje é cada vez maior o número de pessoas que dispõem de carros e motos, precisando de um local para estacionar seus veículos. Cito algumas outras dicas em relação à localização. Uma lanchonete próxima a uma escola e a empresas com um grande número de funcionários também terá sua comercialização estimulada. Muitas empresas também crescem no mercado por estarem próximas à concorrência. É verdade: os concorrentes próximos estimulam clientes a buscarem negócios onde se tem muita oferta. Imagine que você irá montar uma empresa na área de autopeças, o melhor local é onde haja um grande fluxo de pessoas com o intuito de comprar esse tipo de produto. - Fachada: a visualização externa, representada pela fachada é a primeira impressão que o consumidor terá de sua empresa. Capriche. Valorize-a. Mostre que você é bom a partir da fachada. As cores ligadas à atividade e a estrutura de comunicação (nome e marca) terão importante papel nesse sentido. - Iluminação: faça com que seu cliente veja bem os produtos que estão expostos. Muitos empresários, para economizar energia, deixam as lojas às escuras. Resultado: economizam na conta da energia e na mesma proporção perdem clientes. A falta de iluminação representa “tristeza” na mente do cliente. Ele verá o seu ambiente com pouca alegria. Crie formas de deixar a sua empresa bem iluminada, mas gastando pouco. Hoje existem meios para isso. As telhas transparentes são um desses exemplos. As cores internas também vão ajudar ou atrapalhar a boa iluminação. Cores claras refletem a luz, portanto vão ajudar na iluminação do ambiente. - Lay-out: a boa disposição de tudo o que tem dentro da empresa diz respeito ao lay-out. Digo que é o casamento da organização de sua estrutura física, a entrada de matéria prima, a sua produção e a boa circulação de clientes. Eu já conheci empresas que colocam, por exemplo, armários na entrada principal do negócio. Como os clientes podem entrar e circular no empreendimento? Pense a todo momento como estão os processos de sua empresa e o melhor deslocamento dos consumidores. - Exposição dos produtos: os clientes gostam quando eles podem diferenciar os vários produtos existentes nas empresas. Muitos empresários amontoam produtos para aproveitarem todos os espaços internos. Isso é um erro. Primeiro: coloque o que vende. Segundo: dê destaque aos produtos que você vende. Facilitará para sua empresa e muito mais para o seu consumidor, o que vai gerar lucros. - Uniformes dos funcionários: muitas vezes estamos nas empresas e somos interpelados por outros clientes nos perguntando se somos vendedores. Isso acontece em decorrência do empreendimento não ter uma vestimenta para os seus funcionários e/ou não existir uniforme que chame a atenção dos consumidores. Coloque formas e cores de destaque. Atenção! Mas não exagere na dose. É salutar para a vida da sua empresa que os seus colaboradores mantenham sempre os uniformes limpos, por isso a necessidade da equipe contar com, pelo menos, duas peças de roupas; - Comunicação interna: mantenha sinalização dentro de sua empresa. Indique o caixa, os sanitários, as seções existentes, etc. Pense também em cartazes de linguagem simples e direta para atrair os clientes para determinadores produtos ou serviços. Finalizando, vou contar um caso de descuido com o ponto de venda. Visitei uma pizzaria em Teresina que não acompanhou a evolução do mercado. A empresa continua a mesma que há dez anos. Deixou de fazer eventos, a pintura desgastada, vidros quebrados, o lay-out é igual ao começo do negócio. Enfim, o empresário parou, literalmente, no tempo e espaço, ou seja, não é mais o empreendedor de antes. Resultado: em pleno sábado à noite, a pizzaria, mesmo bem localizada, tinha poucos clientes. Uma prova que o ponto de venda é representado por uma série de fatores que o empreendedor deverá redobrar a atenção. A concorrência é muito grande e sempre estará elaborando novas estratégias. Fonte: Consultoria Empresarial Helder Freitas.

Tags: