Canal
Geral

Utilização de biocombustível na Heineken Brasil/Cuiabá

Por: 0 3 de Junho de 2011 13:54

O projeto de utilização de biocombustível foi implantado em agosto de 2005 na cervejaria de Cuiabá da Heineken Brasil como fonte de energia alternativa, em função da oferta de sebo bovino e de seu baixo custo e dos benefícios ambientais associados - considerando as possibilidades de geração de energia. Este combustível alternativo é uma fonte renovável, biodegradável e ambientalmente correta, sendo que as emissões atmosféricas são 98% mais limpas se comparadas à utilização do óleo.

O biocombustível usado é um derivado de gordura animal que tem uma estrutura química semelhante à dos óleos vegetais, as moléculas de triglicerídeos de ácidos graxos. Atualmente, esta iniciativa trouxe à companhia um percentual de redução significativa de enxofre e emissões de gases de efeito estufa. Entre as principais vantagens de sua utilização estão: baixo custo de aquisição em relação ao óleo, baixo impacto ambiental de suas emissões (baixo teor de enxofre e baixa emissão de CO2), que consiste em uma característica positiva básica com extrema importância para o meio ambiente na região e o fato de ser um combustível renovável proveniente de reciclagem animal e muito mais seguro. Além disso, do ponto de vista ambiental é o mais recomendado e não oferece risco de derramamento, pois se solidifica abaixo de 35ºC. Esta iniciativa está totalmente relacionada às diretrizes da empresa sobre sustentabilidade. A Heineken Brasil já estuda a implantação deste processo nas demais cervejarias da companhia. Comitê de Bacias hidrográficas A Heineken é a única empresa de bebidas com participação em todos os Comitês de Bacias Hidrográficas nas regiões em que atua. 1996 - Primeira indústria membro de um comitê de bacia hidrográfica focada na preocupação da escassez água nos rios. 2003 – Agevap - Início metodologia de controle do uso da água (comunidade, indústrias, agropecuária, etc.) e qualidade do efluente devolvido nos rios. O modelo adotado no Brasil se baseou na experiência da Alemanha, onde 100% das bacias hidrográficas estão organizadas em Comitês e cuja legislação foi base para a Política Nacional de Recursos Hídricos. A Alemanha tem papel de destaque mundial em questões ambientais e hoje este sistema está totalmente consolidado naquele país. Programa de redução de consumo de água nas cervejarias Comparando-se com a referência internacional de 6 l de água/l de cerveja, o consumo médio da empresa é de 4,9 l de água/l de cerveja, o que significou uma economia de mais de 112 milhões de litros de água nos últimos dois anos. Principais ações: times de melhoria atuando em todas as fábricas; otimização de equipamentos com foco na redução do consumo de água; reaproveitamentos internos; eliminação de pontos de desperdício; educação ambiental para funcionários e seus familiares, com reflexos, também, no consumo de água em suas residências; ações de educação ambiental junto à sociedade. A Heineken Brasil economiza o equivalente a 38 piscinas olímpicas cheias por ano. Tratamento de efluentes Eficiência do tratamento de efluentes de mais de 92% nas cervejarias. No Estado de São Paulo a legislação exige eficiência maior ou igual a 80% para DBO. As estações de tratamento da companhia são extremamente modernas, utilizando sistemas anaeróbios, aeróbios e mistos, o que viabiliza o lançamento dos efluentes com algumas características até melhores que as do próprio rio. Nenhuma unidade industrial da Heineken iniciou suas atividades antes de ter um sistema de tratamento completo e eficiente em funcionamento. A soma de toda capacidade de tratamento instalada nas oito fábricas seria suficiente para tratar o esgoto doméstico gerado por uma população superior a 300 mil habitantes (a exemplo das cidades Guarujá e Ponta Grossa) Consumo de energia Economia gerada com sistema unificado de co-geração de energia elétrica e vapor nas maiores cervejarias da Heineken Brasil. Como maior contribuição de economia deste recurso finito para a sociedade pode-se citar o uso de sistema de co-geração de energia elétrica e vapor nas  unidades Jacareí e Pacatuba ao gerarem a própria energia em um sistema muito eficiente, deixam de utilizar a energia disponível no sistema que atende a sociedade, contribuindo com a matriz energética nacional. A utilização de energia própria em um ano seria suficiente para abastecer por um mês mais de 230 mil residências com quatro pessoas que consumam a média de 200 KWh/mês. Resíduos Sólidos Impacto econômico na região com a destinação adequada de mais de 98% dos resíduos sólidos das cervejarias. Nos últimos dez anos, a companhia evoluiu de um índice de reciclagem de 61% de todo resíduo gerado em suas unidades para mais de 98% em 2010, com algumas unidades atingindo índices que superam os 99,5%. Reduziram drasticamente a quantidade de resíduos enviados para aterros sanitários, resultando maior tempo de utilização dos mesmos e evitando os possíveis danos ambientais que poderiam ser gerados.

Tags: