Canal
Geral

Uma visão estratégica para a RSE – por Gabriella Caldeirão

Por: 0 22 de Abril de 2011

Gabriella Santana Caldeirão Atualmente no cenário mundial, estão surgindo cada vez mais organizações preocupadas com a sua imagem perante a opinião pública. Para isso é preciso que haja uma evolução de conceitos como, por exemplo, a qualidade de vida de seus públicos (interno, externo, direto e indireto) isso nada mais é do que a Responsabilidade Social. As mudanças de conceitos culturais, sociais e políticos fizeram com que as organizações olhassem de um ponto de vista mais estratégico a ambientalização de sua empresa dentro da sociedade.

A Responsabilidade Social não é um bicho de sete cabeças, apenas é preciso que se entenda o assunto para que não haja distorções perante o público alvo e seus adjacentes. Portanto, é preciso refletir sobre o que devemos fazer para que então sejamos compreendidos e principalmente lembrados pelo que fazemos de bom. A percepção por boa parte dos empresariados sobre a necessidade de um desenvolvimento de Responsabilidade Social é elevar lucros e a conquista capitalista de seus acionistas. Dentro de uma visão estratégica sabemos que a Responsabilidade Social é uma "Cartada de Mestre" para uma boa colocação ou recolocação no mercado, porém é preciso cautela e entender que o conceito de Responsabilidade Social é amplo e precisa ser muito bem planejado para que haja sucesso. Temos que entender que a organização é um reflexo do seu entorno, tendo em vista que o conhecimento externo é vital para um crescimento pleno da empresa. Estar em uma ótima colocação no mercado não depende apenas de menores preços e qualidade de serviço, estes são pontos a serem acrescentados a outros conceitos tais como: sociais, políticos e culturais da organização. Hoje em dia as pessoas deixaram de ser apenas consumidores para serem cidadãos conscientes, com isso procuram produtos e serviços que cumprem com suas responsabilidades com a sociedade. As organizações que trabalham com estes conceitos, são classificadas, como empresas cidadãs. É válido ressaltar que para agregar valor a sua marca é preciso não apenas adotar uma política de doações filantrópicas e sim investir em projetos sociais, por exemplo, a Rede McDonald's, que promove eventos como o McDia Feliz e investem no Instituto Ronald McDonald's. Não pense que ações de Responsabilidade Social são apenas para grandes organizações, empresas de pequeno e médio porte, não só podem como devem agregar valores, isso mostra o quanto a sua empresa é seria e preocupada com o bem estar dos seus colaboradores e comunidade onde se insere, ações simples neste caso fazem grande diferença. A filantropia estratégica posiciona a organização perante a opinião pública, mostrando clareza e credibilidade, gerando um ciclo onde a sua marca sempre será lembrada com referências favoráveis. Este tipo de ação engloba a questão de satisfação e bem estar dos colaboradores internos (funcionários), criando entretenimento para eles sejam inserindo-os dentro das atividades para com a comunidade, com esta atitude os empresários terão notoriamente ganhos múltiplos. Ganha a empresa e os negócios pela representatividade da marca e das ações sociais, ganham os funcionários pela experiência de humanidade e bem- estar, por fazerem parte de uma corrente positiva, ressaltando que a primeira e a principal propaganda positiva tem que derivar dos colaboradores, funcionário feliz é o mesmo que lucro para a organização. Dentro do contexto apresentado, torna-se fácil o entendimento que um profissional de Relações Públicas em uma organização é de extrema importância para a saúde financeira e estratégica da mesma, este visa traçar oportunidades de investimento a longo e a curto prazo tendo como resultado o sucesso no esforço distribuído dentro do plano de ação. Empresário, o sucesso da sua organização depende apenas de você!

[caption id="attachment_101924" align="aligncenter" width="360" caption="Gabriella Caldeirão é formada em Relações Públicas pela Universidade Metodista e atuante em assessoria de imprensa, administração de crises e comunicação organizacional."][/caption]

Tags: