Canal
Geral

Um pouco de live marketing no Festival do Clube de Criação

Por: 0 25 de Setembro de 2013

Aconteceu em São Paulo, no último fim de semana (20 a 22/09), a segunda edição do Festival do Clube de Criação, no Memorial da América Latina, na Barra Funda. O evento contou com a participação de importantes profissionais do mercado publicitário nacional e internacional, bem como de personalidades ligadas à música, fotografia, dramaturgia, moda, artes plásticas e arquitetura. Foram três dias repletos de atividades. Além dos debates e palestras, houve workshops, revisão de portfólios de jovens profissionais e estudantes, e exibição de vídeos, longas e curtas-metragens, bem como das peças premiadas nesta edição do Festival do CCSP. [caption id="attachment_329093" align="aligncenter" width="533"] Diretor de Criação da b!ferraz, Eduardo Viola, convidado para participar de uma mesa de debates no festival (Foto: From Eduardo Viola).[/caption] “Este Festival é um marco de maturidade na longa história do Clube de Criação de São Paulo. Ele tem a ambição de fazer parte do calendário cultural da cidade, interessando a todos que têm ou desejam ter a criatividade por ofício. Aqui se debate conceito, mercado, ética, cultura, sem politicagem ou papas na língua”, analisa Fernando Campos, vice-presidente da entidade e sócio e diretor de criação da agência Santa Clara. Além dos sócios do CCSP, o evento recebeu profissionais de todos os segmentos ligados ao universo da comunicação, dentre eles, o diretor de Criação da b!ferraz, Eduardo Viola, que foi convidado para participar de uma mesa de debates do Festival. Eduardo é carioca, criado no Nordeste e mora há dez anos em São Paulo, mistura total. Sua referência de publicidade vem desde moleque, pois seu padrinho é diretor de arte. “Na época do vestibular, tentei fugir da propaganda apostando que no jornalismo viraria menos noites (risos). Não deu certo, acabei caindo nas graças da publicidade e depois de começar a trabalhar ficou claro que não poderia ter feito melhor escolha” revela Eduardo. Na época da faculdade, organizava eventos levando profissionais de propaganda do Rio de Janeiro e de São Paulo para palestras e debates, o que rendeu o seu primeiro estágio na Lowe TTL. “Me apaixonei por São Paulo, pelo trabalho, fiz as malas e vim embora. Depois de passagens pela OgilvyOne e novamente pela Lowe (que na época se chamava Draft), conheci a b!ferraz e o mundo do live marketing” relembra Eduardo. Nos últimos oito anos, Eduardo criou para clientes como AmBev, PepsiCo, Nivea, Oi, Comgás, Bradesco Seguros, TicTac e há um ano divide a direção de criação da b!ferraz com André Alcântara sob o comando da Tatiana Palladino, VP de Criação e Planejamento. [caption id="attachment_329097" align="aligncenter" width="533"] "Como transformar o live marketing em objeto de desejo para os estudantes e novos profissionais " (Foto: From Eduardo Viola).[/caption] Ele contou ao Promoview como foi a experiência de participar do Festival de Criação. Promoview: Como foi o convite para participar do Festival do Clube de Criação? Eduardo Viola: O Neto (Mentor Muniz CCO e partner da Bullet) criou a mesa para que a gente pudesse ter um espaço dentro do festival voltado para o live marketing. Acabamos de viver um grande momento do mercado promocional no primeiro Congresso de Live Marketing, e, além de discutir essas transformações, sendo um Festival do Clube, abordar temas específicos de criação. Promoview: Como foi participar de um evento tão importante para a área de publicidade, propaganda e marketing? Eduardo Viola: Toda iniciativa de debate sobre o mercado é mais do que saudável. Sair das agências, trocar ideias, discutir práticas e estar em contato com quem faz o mercado de verdade é muito enriquecedor. Acho que essa aproximação foi o maior ganho que tivemos com esse encontro. Promoview: Como você sentiu o publico do Festival este ano? Qual foi a receptividade? Eduardo Viola: O marketing promocional ainda não atrai tanta atenção quanto os outros temas do festival, isso é fato. Mas havia muitos colegas de outras agências e estudantes na plateia. Esse inclusive foi um dos pontos abordados pela mesa: como transformar o live marketing em objeto de desejo para os estudantes e novos profissionais e deixar de ser apenas uma opção para quem não conseguiu se estabelecer no ATL. Promoview: Qual foi o assunto que você levou ao debate? Eduardo Viola: Abordamos assuntos como a formação de novos profissionais e maneiras de atrair o olhar de novos talentos para o live marketing. Falamos sobre o movimento de reorganização do mercado e como essa união também deve acontecer nas áreas de criação e planejamento. Também levantei a questão que legislação, viabilidade, budget e prazo são itens cada vez mais presentes na cabeça dos criativos e refletimos se isso nos torna profissionais mais assertivos e objetivos ou se essas são travas que não devem existir no processo criativo. Promoview: Este ano o marketing promocional sofreu algumas mudanças com a vinda da expressão live marketing. Mesmo o Festival sendo mais publicitário, você acha que de certa forma esse movimento do marketing gerou alguma mudança na ideia geral do público presente no Festival? Eduardo Viola: Não acredito que uma mudança de nome vá mudar a percepção do mercado, mas sim uma mudança de postura. E acho que foi isso que vimos acontecer no primeiro Congresso de Live Marketing. O Congresso não foi simplesmente a apresentação de uma nova nomenclatura, mas sim uma atitude rumo ao fortalecimento do mercado. Agora nos resta continuar trabalhando juntos para que com o tempo comecemos a colher os frutos dessa união. Promoview: Qual foi o assunto mais badalado desta segunda edição do Festival? Eduardo Viola: Infelizmente a minha participação no Festival se resumiu à mesa de debate, mas gostaria muito de ter visto a palestra do Boni e dos diretores de criação do Blue Man Group. Promoview: Me faça uma panorama geral da sua impressão sobre este Festival. O que ele te trouxe de mais valioso? Eduardo Viola: Sem dúvida nenhuma, pra mim, o maior valor que o Festival teve foi proporcionar o encontro e a troca de ideias com outros criativos da minha área como Danilo Moraes (CCO da Momentum Brasil), Fábio Brandão (vice-presidente de Criação da Holding Clube), Filipe Chiminazzo (Diretor de Criação da Aktuell) e o Neto (CCO e Partner da Bullet). [caption id="attachment_329095" align="aligncenter" width="536"] Danilo Moraes, Eduardo Viola, Mentor Muniz, Fabio Brandão e Filipe Chiminazzo, participaram do debate "Promo não é marketing promocional que não é bellow the line que não é live marketing" (Foto: By Facebook Momentum Brasil).[/caption]

Tags: