Canal
Geral

Sustentabilidade: a hora é agora

Por: 0 6 de Julho de 2015

Com o consumidor cada vez mais exigente, com um mercado cada vez mais globalizado e com um planeta à beira de um colapso, é natural que as grandes marcas comecem a ter um novo olhar sobre os seus produtos e o seu público-alvo. Diante da grande competitividade, a definição e o planejamento de estratégias tornam-se necessidades básicas das empresas. O desafio é grande, e as marcas têm inovado e até se reinventado para estar cada vez mais presentes na vida das pessoas. Passado o Festival de Cannes, onde foi ventilado que muitas ações sustentáveis foram criadas apenas para conquistar os Leões, a hora da verdade chegou, e, quem não investir realmente no que é sustentável, perderá um grande espaço no mercado em geral. cannes_ouro De acordo com especialistas, as marcas devem buscar o aperfeiçoamento e o amadurecimento da sua relação com o consumidor, que há tempos deixou de ser mecânica, imparcial e impessoal. Elas precisam fazer com que os clientes as reconheçam por seu diferencial, e, quanto mais sustentável, melhor. Quando se fala em ampliar a preocupação com o meio ambiente, isso não diz respeito apenas à criação de um produto, envolve muito mais, desde a exposição em uma feira de negócios com um estande sustentável, até ações em torno de suas fábricas, mostrando uma preocupação com a comunidade como um todo. [caption id="attachment_473317" align="alignleft" width="112"]Marcos Nakagawa. Marcos Nakagawa.[/caption] Para Marcus Nakagawa, presidente do Conselho Diretivo da Abraps - Associação Brasileira de Profissionais de Sustentabilidade "Para o desenvolvimento sustentável empresarial a ética é o pilar de sustentação básico para qualquer estratégia, parceria, projetos ou atividades. Sem ética, a sustentabilidade fica comprometida e corre o risco de ser somente um lindo processo escrito num relatório com fotos e gráficos." "Mais difícil do que ter um código numa empresa é o processo de engajamento de funcionários, treinamento, acompanhamento e auditorias das práticas que não são consideradas éticas numa organização. Acionistas de grandes empresas estão cada dia mais preocupados com as tais questões, pois elas garantem, também, o retorno financeiro do seu investimento nas ações da empresa. Os investidores compram a prosperidade financeira, ética e sustentável da companhia por meio de papéis de 'futuro', com isso, ganham se acertarem em quais “histórias empresariais de futuro” investir.", conclui Marcus. Empresas Sustentáveis Apenas uma empresa brasileira aparece no ranking das cem companhias mais sustentáveis do mundo, editado pela "Corporate Knights", publicação especializada do Canadá. Na lista, a fabricante de cosméticos Natura aparece na 44ª posição, com pontuação geral de 61,5%. naturaO ranking é liderado pela empresa de biotecnologia Biogen, dos Estados Unidos. A farmacêutica Allergan, também dos EUA, aparece em segundo lugar, seguida pela alemã Adidas. A quarta e a quinta posições são, respectivamente, da Keppel Land, empresa dos setor de imóveis de Cingapura; e da varejista finlandesa Kesko. Os Estados Unidos, com 20 empresas na lista, teve seu melhor desempenho nos 11 anos do ranking. Critérios O ranking da "Corporate Knights" leva em conta 12 critérios: produtividade energética, emissões de carbono, uso da água, produção de lixo, capacidade de inovação, tributos pagos, relação entre salários do principal executivo e dos trabalhadores da base, fundo de pensão, desempenho de segurança, taxa de rotatividade dos empregados, diversidade das lideranças e a existência de uma relação entre o pagamento dos executivos e a performance sustentável da companhia. multinacional-sustentavelOs critérios adotados pela Corporate Knights para montar o seu ranking, deixa claro que não basta apenas fazer uma ação social para ganhar um prêmio ou para mostrar aos outros que ela é uma empresa sustentável. Tem muitos outros fatores envolvidos por trás do que se chama sustentabilidade, e, é nesse ponto que as empresas precisam focar. Projetos Sociais No Brasil nós temos grandes exemplos de empresas que trabalham em prol da comunidade, realizando projetos sociais que beneficiam muitas pessoas. Podemos citar o Itaú Unibanco, uma das maiores instituições financeiras do País, e que é considerado uma das empresas que mais investe em projetos sociais, além de promover ações que oferecem descontos e premiações para quem tem o seu cartão, como meia-entrada no cinema e em partidas de futebol. Outra ação da instituição financeira é a plataforma #issomudaomundo, que tem como objetivo estabelecer um elo entre seu propósito de transformar o mundo das pessoas para melhor e as diversas causas e projetos que recebem investimentos do Itaú nos pilares da educação, cultura, esporte e mobilidade urbana. [caption id="attachment_473319" align="aligncenter" width="562"]Projeto Bike do Itaú contribui para uma melhor mobilidade urbana. Projeto Bike do Itaú contribui para uma melhor mobilidade urbana.[/caption] Outro projeto que pode ser citado é o "Coletivo Coca-Cola", uma plataforma de valor compartilhado que, desde 2009, transforma a realidade de milhares de pessoas. O Coletivo promove oportunidades econômicas nas comunidades de baixa renda, em parceria com instituições locais, onde oferece treinamento técnico, empoderamento comunitário e acesso ao mercado de trabalho. Atualmente, existem sete diferentes modalidades do Coletivo Coca-Cola: Varejo, Artes, Floresta, Reciclagem, Excelência em Eventos, Logística e Produção, e Empreendedorismo. coletivo-cocacola Muitos outros exemplos de projetos sociais feitos por empresas brasileiras poderiam ser citados. Mas, o objetivo de mostrar apenas esses dois, é apenas para alertar sobre a importância de atitudes como essas na vida de milhares de pessoas. O Brasil está passando por uma crise econômica assustadora. O número de desempregos está aumentando a cada dia que passa, crise de abastecimento de água gerando sérios problemas, energia elétrica com preços elevadíssimos, e outras coisas mais faz com que as marcas tenham uma parcela ainda maior no contexto sustentabilidade. A hora é agora. É preciso investir cada vez mais em ações de marketing sustentável, objetivando com isso, não somente o auxílio às famílias de baixa renda, mas, também, como uma forma de alavancar a economia. sustentabilidade

Tags: