Canal
Geral

Senac qualifica um milhão de profissionais

Por: 0 6 de Maio de 2011

Pela primeira e única vez na história do esporte, um mesmo país irá sediar, em anos consecutivos, as quatro maiores competições do futebol mundial entre seleções nacionais. A responsabilidade cabe ao Brasil, sede da Copa das Confederações, em 2013; da Copa do Mundo, em 14; da Copa América, em 2015 e das Olimpíadas, em 16. A escolha do nosso País deve-se a uma série de fatores coincidentes. Como resultado do rodízio de continentes imposto pela Fifa, o Brasil surgiu como o único candidato para abrigar a Copa do Mundo de 14, a ser realizada na América do Sul. A escolha trouxe com ela a Copa das Confederações, evento realizado sempre um ano antes da Copa do Mundo, entre oito seleções, com o objetivo de testar a estrutura do País. Para a próxima edição da Copa das Confederações, já estão confirmadas as presenças da Espanha, atual campeã do mundo e do Brasil, país-sede.

Um terceiro participante surgirá em meados do ano, na Copa América, a ser realizada na Argentina. Caso o Brasil seja o campeão, o representante da América do Sul na próxima Copa das Confederações será o vice-campeão. Coincidentemente, a Copa América coube ao Brasil também por meio de rodízio de sedes. Desde 1987, as edições da Copa América foram distribuídas entre os países-membros da Comenbol. A Argentina sediou naquele ano e volta a sediar em 2011. O Brasil foi sede em 1989 e voltará a abrigar a competição em 2015, agora que se estabeleceu o período de quatro anos entre cada edição. Por último, os Jogos Olímpicos, cuja competição de futebol ocorrerá em outras quatro cidades, além do Rio de Janeiro: São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Salvador. Ao longo da história, alguns países sediaram, em anos próximos, Olimpíadas e Copa do Mundo, casos de México, em 1968 e 1970 e, Alemanha, em 1972 e 1974. O que jamais aconteceu foi a realização da copa do continente, a Copa América no nosso caso, ser disputada entre a Copa do Mundo e a Olimpíada, todos em um mesmo país. Não é difícil imaginar o impacto positivo que tantos eventos consecutivos trarão para o Brasil e, o que mais nos interessa, para o Paraná.  Não é por outra razão que o Sistema Fecomércio Sesc Senac vem tratando do assunto. Na última quinta-feira (28/04), em Foz do Iguaçu, recepcionamos 50 operadores de turismo do Rio de Janeiro, capitaneados pelo próprio presidente da Fecomércio carioca, Orlando Diniz. É grande o interesse em incluir as Cataratas como destino da maioria dos turistas que virão ao Brasil, mesmo porque Foz já recebe o segundo maior fluxo de turistas estrangeiros no país. Tantos turistas vão exigir mão de obra do setor turístico. Para tanto, o Senac prevê qualificar um milhão de profissionais nos próximos três anos, em todo o País. Com o mesmo objetivo, estamos fechando contrato com a Prefeitura de Curitiba para patrocinar três relógios em áreas públicas, nos quais serão instaladas contagens regressivas para cada um dos eventos. Existem dúvidas de diversos setores em relação à competência brasileira para organizar tudo a tempo. Sem medo de errar, podemos afirmar que no Paraná estaremos preparados para prestar todos os serviços com a eficiência que a magnitude dos eventos está a exigir. Fonte: Darci Piana - Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná.

Tags: