Canal
Geral

Se você tolera o racismo, apague o Uber

Por: Redação. 11 de Setembro de 2020

"Se você tolera o racismo, exclua o Uber". Essa é a força da mensagem que o aplicativo de mobilidade lançou em sua última campanha nos Estados Unidos.

Seu lançamento coincide com o 57º aniversário da Marcha em Washington (que foi comemorado em 28 de agosto, especialmente lembrado pelo discurso de Martin Luther King Jr. intitulado "Eu tenho um sonho.").

Leia também: Clear Channel realiza campanha de combate ao racismo.

Leia também: Jogadores da NBA boicotam jogos por ato de racismo nos EUA.

“Isso tem menos a ver com propaganda e mais com ativismo. É uma postura forte contra o racismo.", disse Thomas Tanese, vice-presidente de marketing global da Uber.

A Wieden + Kennedy é a agência que assinou este trabalho voltado especialmente para o meio externo por meio de diversos outdoors localizados em 13 cidades americanas e para o digital por meio das redes sociais da marca e do próprio app.

Esse compromisso levou a Uber a patrocinar a Marcha deste ano em Washington. “Todos têm o direito de marchar e circular livremente. E queremos lembrar às pessoas que quando usam o Uber, seja para viajar ou dirigir, estão se comprometendo com as diretrizes da nossa comunidade, que não tolera racismo de nenhum tipo.”

Além dos outdoors, a Uber enviou e-mails e notificações aos seus usuários com esta mensagem antirracista e com o guia que detalha as diretrizes da comunidade da plataforma, que afirmam que racismo, discriminação e assédio não são tolerados, por intermédio de sua plataforma.

Esta não é a primeira vez que a Uber incentiva os consumidores a não usarem seu aplicativo por uma causa importante neste ano.

A marca já incentivou seus usuários a ficar em casa em abril para impedir a disseminação do Covid-19.

Tags: uber | racismo | campanha da Uber contra o racismo | Marcha em Washington