Canal
Geral

Promoção para quem é de promoção

Por: 0 3 de Abril de 2012

Por Marcelo Ponzoni. A palavra promover, entre tantas outras coisas, quer dizer causar, fomentar, motivar, ocasionar, originar, provocar e suscitar. Porém, para os profissionais desta área, promover significa trabalhar, e muito! Como atuamos na área de comunicação, acabamos por transitar pelas mais variadas ferramentas que nos possibilitam levar a mensagem ou a intenção de nossos clientes ao público desejado. Entre tantas possibilidades, existe a promoção que, particularmente, considero a de maior responsabilidade e risco, pelo simples motivo da característica de ter que atuar ao vivo. Vou explicar: entre as mais diversas ferramentas, a entrega da promoção em si é efetuada de maneira presente; quer dizer, se qualquer coisa acontecer de errado no momento presente, todo esforço de uma equipe ou todo investimento de um cliente vai por água abaixo. E para complicar, o profissional de promoção lida ao mesmo tempo com fatores controláveis e incontroláveis. Além de uma excelente equipe de planejamento, pré-produção e execução, invariavelmente expostas a erros, existem os fatores externos ao controle, como tempo, equipamentos, serviços terceirizados, entre outros. Para agravar ainda mais a situação, há as atuais pressões por diminuição de verba, tempo de aprovações, possibilidades de trabalhos, que muitas vezes se dão durante as madrugadas, e por aí vai. Costumo comparar uma equipe de promoção a uma equipe de Fórmula 1, onde cada um tem extrema importância no processo completo. Para ser mais objetivo, quantas vezes você já viu uma equipe de Fórmula 1 perder uma corrida pelo simples motivo do mecânico de pit stop errar o aperto de uma roda na hora da troca? Pronto, ali se foram dias e dias de trabalho, investimentos milionários, expectativas de milhares de pessoas... Isso sem falar nos prejuízos à equipe a ao campeonato do ano. Perceberam a comparação? Na atividade de promoção é mais ou menos assim. Lembro-me de uma passagem em minha vida profissional que uníamos, numa só campanha, diversas ferramentas de comunicação. Era um trabalho de meses: campanha publicitária, de incentivo às equipes, endomarketing, captação de depoimentos e de todas as etapas para a construção de um filme que seria utilizado na grande noite de premiação, e muita festa! Todo o evento girava em torno de todos os acontecimentos vividos pela empresa e seus participantes. Pois bem: na montagem do evento, que não podia ser feito antes das 22h (por se tratar do segmento de shopping center), o tempo era nosso grande inimigo, pois trabalhávamos numa pressão por resultado x possibilidade. A equipe era grande, envolvendo construção de palco, sonorização, distribuição de telões para que todos pudessem acompanhar, show de artista, alimentação, fluxo de pessoas, segurança, staff, movimentação de terceiros e tudo que envolve uma grande produção. Naquela mesma madrugada, a equipe de produção de vídeo ainda se esmerava nas ilhas de edição para compor todas as falas, trilhas, efeito, etc., para a apresentação do filme que seria o ápice de toda a campanha. O dia e a hora chegaram. Como disse no começo, o show é “agora e ao vivo”, os nervos exaltados, principalmente do cliente e daqueles que não compreendem bem a imensidão de atividades coordenadas que um evento destas proporções podem gerar. Ação! Estávamos lá e tudo começou a rolar, a multidão começou a entrar, se servir, se posicionar... E nos bastidores, todos estavam a postos com dezenas de profissionais envolvidos. O apresentador inicia, tudo em ordem: som, luz, chama a atração, beleza, tudo em ordem! A área VIP toda amparada com as suas devidas exigências. E, assim, tudo ia correndo muito bem, até o momento em que o apresentador chamou a atenção de todos os presentes para a exibição do vídeo que trazia mais de sete minutos de uma história de envolvimento, luta e conquistas. As luzes se apagaram e aí, NADA: o vídeo não entrava, o movimento começou nos bastidores, o apresentador utilizando de suas capacidades para distrair o público e os minutos pareciam eternidades de desespero, até ser detectado o problema num cabo de 100 metros, de altíssima qualidade, mas que apresentou problema. Esse cabo passava por um caminho sem mapa. Assim, naquele momento, o fator incontrolável fazia a sua parte. Tudo não valia mais nada, nem 100 pessoas conseguiriam resolver um único problema. Vimos ali o lado mais cruel de uma luta! O final infeliz custou a todos: cliente, agência, equipe, convidados, etc., etc., etc. Bem, o que eu quis colocar neste texto é o tamanho da responsabilidade de todos, sem exceção, num trabalho onde a vida ou a morte está no presente. A promoção é o programa ao vivo, onde por mais que as coisas mudem no pré, é na hora que a sua cabeça está a prêmio, e por maior controle que possa haver, estaremos sempre expostos aos fatores incontroláveis. Sendo assim, só posso ter um desejo: PROMOÇÃO PARA QUEM É DE PROMOÇÃO! A esses profissionais, entrego as minhas palmas e o pedido de muita proteção. Parabéns a esses profissionais, sempre esquecidos diante das belezas que proporcionam, e pela excelência de seus ofícios; que infelizmente, para muitos, não exercem nada mais do que a obrigação e são crucificados, muitas vezes injustamente, por acontecimentos que fogem às suas responsabilidades. Parabéns!

Tags: