Canal
Geral

Promo pode ser decisivo para Ogilvy ganhar agência do ano

Por: 0 20 de Junho de 2013

A Ogilvy é sem dúvida a grande sensação desta temporada em Cannes Lions. São 23 Leões até aqui: dez de Ouro, três de Prata e nove de Bronze além é claro do Grand Prix em Promo & Activation com a campanha “Fãs Imortais” para o Sport Club Recife. E tem mais. A Ogilvy, comandada pela  dupla Anselmo Ramos e Luis Musa, que estão mudando a história da agência no Brasil, globalmente na rede e dentro do próprio grupo WPP, tem ainda peças nos shortlists de Press (três campanhas com onze peças), Radio (quatro), Cyber (três) e Design (uma), sem falar de Film, cujos finalistas só serão conhecidos nesta quinta 20/06, onde deve emplacar algumas peças. [caption id="attachment_301308" align="alignleft" width="560"] Equipe da Ogilvy no momento da premiação de Grand Prix em Promo & Activation. Anselmo e Musa (extrema direita) comandam um grande resultado do escritório brasileiro.[/caption] Este excepcional desempenho já a coloca como a favorita a levar o título de Agência do Ano. E a categoria Promo & Activation poderá ser a grande responsável por isso. É que uma mudança nas regras do Festival este ano  unificou os resultados de Cyber, Direct e Promo & Activation na contagem do título ao lado da pontuação em todas as demais competições: Film, Film Craft, Press, Outdoor, Radio, Titanium and Integrated, Design, PR, Mobile, Creative Effectivenesses e Branded Content & Enternainment. Antes desta emblemática 60ª edição Cyber, Direct e Promo não entravam na soma geral. Como a Ogilvy sempre foi muito bem nas duas últimas premiações, essa mudança nas regras faz toda a diferença. Segundo Regina Augusto, editora do Meio & Mensagem, que acompanha o festival no Palais, para efeitos de comparação, em 2012 (antes das mudanças, portanto), quando ficou em terceiro lugar no cômputo geral para o título de Agência do Ano, a Ogilvy conquistou 16 Leões (quatro Ouros, cinco Pratas e sete Bronzes). Em 2010 e 2011, quando o título foi do Brasil para a AlmapBBDO, o número de Leões, respectivamente, foi de 15 Leões (três Ouros, duas Pratas e nove Bronzes e um GP), e 14 Leões (um Ouro, oito Pratas e cinco Bronzes). Em 2009, a DM9DDB foi a grande vencedora com nove Leões (dois Ouros, quatro Pratas e três Bronzes). Regina detectou "um misto de “inveja branca” e preconceito" que segundo editorial publicado hoje tem feito com que boa parte dos criativos brasileiros aceitem com reserva esse desempenho da Ogilvy em Cannes. "A impressão que se tem é a de que somente agências com “pedigree criativo” – como especialmente a AlmapBBDO e também DM9DDB e F/Nazca – tenham credenciais e o direito de ganhar o título de Agência do Ano" observa Regina em conversa com executivos que estão no Palais. O fato é que a contratação de Anselmo Ramos, em 2007, como vice-presidente de criação e sua afinidade com Fernando Musa, mostram agora os resultados na trajetória do desempenho da Ogilvy em Cannes. Com experiência de uma década fora do Brasil, a dupla elencou como prioridade na agência mudar a percepção criativa da Ogilvy e o caminho escolhido para isso foi o de ser a agência brasileira mais premiada em Cannes. Certamente nesta estratégia - onde Promo pode ser um ponto decisivo no resultado - fez parte a presença de Anselmo Ramos no Júri da categoria em 2012 além é claro, do trabalho duro desenvolvido por todo staff do escritório brasileiro no dia a dia.

Tags: