Canal
Geral

A profissionalização do live marketing na visão de Totó

Por: 0 3 de Setembro de 2014

Uma significativa movimentação chamou a atenção do mercado promocional brasileiro esta semana. A saída de Anuar Tacach, que se deu pela venda das suas ações na InvestPromo, descortina a existência de um mercado no setor onde a compra e venda de participação sinaliza um cenário de profissionalização, tão desejado para quem trabalha com eventos e ações promocionais. Promoview foi conversar com um dos mentores deste movimento, Luiz Antonio Busnello, o Totó, na esperança de que o exemplo seja seguido em todo o País, consolidando definitivamente esta atividade empresarial, motivo das nossas atualizações diárias aqui no Promoview. [caption id="attachment_417401" align="aligncenter" width="562"]Luiz Antonio Busnello. Luiz Antonio Busnello.[/caption] Promoview : Luiz Antonio, você é um tipo de empresário que o mercado promo não conhece, a não ser o restrito circulo paulistano. Trata-se de um investidor em agências de marketing promocional e live marketing. Qual é a sua motivação? Totó: Venho do mercado financeiro, e, quando decidi empreender, escolhi o live marketing porque é um mercado muito fragmentado e ainda muito imaturo na questão da gestão. Promoview – Esta história de compra e venda de ações e participação sempre foi comum no mercado publicitário. A gente acredita que esta mudança, que começa a criar negociações de porte dentro do próprio setor promo, começou na Pepper... Como foi isso? Totó:- A Pepper foi inaugurada em 2005 por Carlos Perrone. Meses depois, admitiu dois sócios: Luiz Lara e Augusto Cruz Neto. Entretanto, no final de 2006, Lara e Cruz Neto desligaram-se para montar a Mood. Foi então que Roberto Justus acertou com Perrone a entrada da Pepper no Grupo Newcomm e a fusão da agência com a Maestro, que havia nascido como área promocional da Y&R e vinha sendo tocada pelos sócios Anuar Tacach e Marcos Quintela. Enquanto Tacach se manteve na agência promocional, Quintela iniciou, em 2006, sua carreira na Y&R. Em 2009, impedido por seu contrato com o WPP de ter negócios no mercado de comunicação sem a participação da multinacional, Justus deixou a sociedade da Pepper, que passou a ser tocada pelo trio Perrone, Tacach e Ale Alves - este último retornou à agência como sócio naquele ano, que também marcou a entrada no negócio do fundo InvestPromo. Perrone deixou o negócio em 2011, quando a InvestPromo assumiu o controle acionário. E Ale Alves saiu no ano seguinte. Promoview – E este recente movimento modificou a estrutura e forma de atuação de vocês? Totó: Com a chegada do Zaratin, nosso objetivo com a Pepper é manter o processo de seniorização, com a operação comandada pelo nosso vice-presidente Fábio Trevisan, que conta com dois diretores à frente de cada uma das quatro áreas-chave: produção, atendimento, planejamento e criação. O nosso dia a dia terá o Wagner Zaratin no comando da criação e do planejamento e o Chehin no atendimento. Eu sigo no acompanhamento da área financeira. Queremos ser percebidos pelos clientes como uma consultoria. Promoview: Como funciona o modelo de negócios na InvestPromo? Você financia os projetos das agências e tem seu retorno posteriormente? Totó: Nós escolhemos algumas empresas para investir e aportarmos gestão e desenvolvimento de pessoas. Além da Pepper, temos participações na Zicard (marketing promocional) e Setter (projetos especiais e eventos de incentivo). Promoview –Existem mais empresários como você no mercado promo? Totó: Existem vários empreendedores que já perceberam que gestão faz a diferença neste negócio. Em primeiro lugar, criatividade e entrega; logo em seguida, gestão e desenvolvimento de pessoas. Promoview: Luiz Antonio, qual a orientação que seu grupo dá para as agências que integram a InvestPromo com relação à participação em concorrências? Totó: Entramos nas concorrências que avaliamos passarem o mínimo de segurança e transparência. Observamos também o tamanho da verba, quem são os concorrentes e quantos são. Na Pepper, o foco é manter contratos fixos, como os que temos com Santander, TIM, EDP Energia, Brasil Kirin, Yahoo! e Totvs. As contas mais recentes, recém-conquistadas, são as da Sony Mobile e Nespresso. Promoview: No caso de clientes que pagam com 90 dias ou mais, qual é o seu posicionamento sobre esta prática? Acontece isso com as empresas do seu grupo? Totó: A prática não é novidade e será cada vez mais usada. Todos os fornecedores deverão se adaptar. Promoview: Qual sua visão sobre o movimento live marketing? Totó: O mercado vem passando por transformações; algumas boas, outras nem tão boas. Não existe nome mais apropriado do que o “live” para o nosso segmento. A Ampro vem fazendo um papel importante conseguindo reunir as principais lideranças do mercado, que estão trabalhando para aumentar o embasamento e reconhecimento do nosso segmento.

Tags: