Canal
Geral

Produtividade x Eficiência

Por: Equipe Editorial WLC. 8 de Janeiro de 2016

Mais um novo ano se inicia e junto como ele a esperança de ter um 2016 melhor que 2015. Este é um momento importante para as empresas reverem suas ações e buscarem melhorias em todos os níveis da organização. Uma necessidade que se tornou crescente em 2015 e tende a crescer ainda mais em 2016 é o aumento da produtividade.

Segundo a pesquisa “From Dedication to Medication?”, realizada com 12  mil executivos de 85 países, o Brasil é o País onde mais se trabalha, com 17% da população cumprindo uma jornada de 55 horas semanais, sendo que 45% desses profissionais levam pendências para casa pelo menos três vezes por semana.

Curiosamente, este é um dado alarmante, uma vez que essa longa jornada não significa efetivamente produtividade, muito pelo contrário. Segundo o relatório global da Conference Board, organização americana que reúne 1 200 instituições públicas e privadas de 60 países, as empresas no Brasil são as menos produtivas do mundo.

Para produzir como um americano, por exemplo, são necessários quatro brasileiros. Ou seja, mesmo trabalhando mais que os profissionais americanos, a produção brasileira é infinitamente inferior.

Os motivos para tal improdutividade nas empresas do País são diversos: processos burocráticos, metodologias ultrapassadas, gestão desestruturada, falta de motivação da equipe, entre outros. Confira algumas dicas de executivos entrevistados pela Revista Exame para ter maior produtividade em 2016: 

Simplificar e Ter Foco

Para fazer bem seu serviço, é importante que cada um saiba o que se espera dele. Para isso, é preciso estabelecer metas de produção para os indivíduos e métricas claras para o negócio.

Há dois anos, quando chegou à companhia de e-commerce Groupon, Michel Piestun percebeu que a empresa tinha muitas métricas e pouco foco. Os funcionários gastavam tempo e energia com ações que não geravam resultados expressivos.

Piestun, hoje presidente para a América Latina, diminuiu as métricas, restringiu as categorias de produtos comercializados e cortou cinco cidades de atuação do Groupon. Hoje, o site de compras coletivas faz o dobro de projetos com o mesmo número de pessoas.

Ouvir Seus Funcionários

Uma boa maneira de descobrir suas falhas é pesquisar. Pergunte aos funcionários, por exemplo, quais são as práticas ou os sistemas mais frustrantes em seu dia a dia e o que pode ser melhorado.

Foi o que fez Marcos Scaldelai quando assumiu a presidência da Bombril, em 2013. Ele convidou os empregados de todos os departamentos, exceto os gerentes, para que apontassem três soluções: o que poderia ser feito em sua área para melhorar sua produtividade; o que deveria ser feito em outro setor para melhorar a produtividade do seu; e o que a companhia como um todo deveria fazer para produzir mais.

“Conseguimos mapear os grandes gargalos de cada departamento vistos pelos funcionários.”, afirma Scaldelai.

Confiar na Equipe

Em sua empresa, os funcionários podem tomar as próprias decisões ou precisam pedir licença à liderança antes? A confiança, acredita Eduardo Aron, presidente da fabricante de rações animais Guabi, impacta diretamente a produtividade.

“Se você não confia em sua equipe, adota checagens, inventa reuniões de staff, faz follow-up  constante, copia todo mundo no e-mail.”, diz o executivo. Portanto, se você confia em seu time, comunique o que espera de cada um e deixe-o trabalhar.

“Você atrapalha menos e eles rendem mais.”, afirma Aron.

Motivar e Reconhecer os Funcionários

Buscar formas de motivar funcionários é um trabalho constante e de importância extrema para a produtividade, e o reconhecimento de colaboradores que executam um bom trabalho é fundamental para a satisfação do empregado com a empresa e com seus superiores.

Deepark Chopra, um dos maiores experts em maximização do potencial humano nos Estados Unidos, acredita que “o fenômeno que desperta a consciência para a liderança é o sucesso” e que “a espiritualidade nas empresas pode ser obtida quando o funcionário produz mais e com mais prazer”.

Em entrevista para a Revista Exame, Deepark afirmou que a economia da empresa está diretamente relacionada com a educação e a criatividade.

“E o combustível de tudo isso é a motivação.” enfatizou o executivo.

Tags: