Canal
Geral

Porque é que as marcas têm de ter os olhos na China

Por: 0 31 de Maio de 2012

Como o Promoview noticiou no início do ano, a China é um grande foco de interesse em 2012, e a tendência é que esse papel no mundo do consumo venha a se tornar cada vez mais relevante. O mais recente relatório do agregador de tendências Trendwatching nos dá conta disso. Seguem alguns exemplos de como as coisas já não só feitas na China, elas são melhores feitas na China. Para Todos China Unicorn, um smartphone mais barato Em dezembro de 2011, a China Unicom lançou o MI-ONE, com um processador de 1,5GHz, tela de quatro polegadas e câmera de oito megapixels. Feito para crescer diante da demanda nacional cada vez maior de smartphones com preço razoável, o MI-ONE custa CNY 1.999... São 0.62 Reais. Mais Verde BYD táxis elétricos A cidade de Shenzhen tem uma frota enorme de táxis elétricos fabricada pela montadora chinesa BYD, e o projeto piloto levou 50 táxis elétricos para as ruas. Os planos são de acrescentar mais 250 carros à frota em 2012, além de 200 ônibus elétricos. On-line Forte O.cn, cidades com mapas ilustrados em 3D O O.cn é um serviço de mapeamento estilizado on-line que cobre as 38 maiores cidades da China. Os mapas em 3D são sincronizados com redes sociais e os usuários podem clicar em prédios e áreas para acessar o conteúdo original e criado por outros usuários. Mais Estranho (mas também mais criativo) China Post correio intergalático A China Post oferece um serviço pelo qual as pessoas enviam cartas do espaço, com um selo de “Cidade Espacial 1”. Os usuários enviam um e-mail para Tiangong-1, uma espaçonave chinesa em órbita, e ele é reencaminhado a uma unidade especial do Correio Espacial da China, localizada em Pequim. Os e-mails são impressos, colocados em envelopes temáticos, fechados com um “selo galáctico” e enviados pelo correio tradicional. Mais Unidos Handsup.cn e o poder dado ao consumidor A Handsup.cn pretende entregar o poder aos consumidores pedindo a eles que recomendem produtos e serviços que querem comprar, bem como o preço. Quanto mais os usuários interessados em um produto específico, maior a sua chance de disponibilidade, e menor o preço. Mais Fácil Hai Di Lao: Jantar fora com quem está em outro país Em setembro de 2011, a rede de restaurantes Hai Di Lao e a empresa chinesa de tecnologia Huawei anunciou uma parceria para instalar monitores para telepresença nos restaurantes da China. Graças a eles, os clientes podem fazer refeições com amigos e familiares distantes – tudo por intermédio de um link de vídeo. Mais Futuro Haier: Controle remoto pela mente Em janeiro de 2012, a gigante chinesa de eletrônicos Haier demonstrou sua “Brain Wave TV" ("TV de ondas cerebrais”), que permite que os usuários controlem a ação nas suas TVs usando a mente. A tecnologia experimental foi demonstrada junto com inovações para os consumidores, como as TVs 3D com conversão de 2D para 3D. Nota Final E isso é apenas o começo. Alimentadas por tecnologias em constante melhoria, uma força de trabalho de alta qualidade e pelo consumo nacional crescente, as marcas chinesas estão apenas se aquecendo. É por isso que todas as marcas devem ficar com os olhos na China, um mercado que vai definir, cada vez mais, a cultura do consumidor. Com as marcas chinesas exportando produtos e serviços para o resto do mundo, devemos ver as preferências chinesas com influência ainda maior sobre os produtos e serviços de consumidores, e em escala global. Claro que nada disso indica o final de marcas mais tradicionais de economias ocidentais. A excelência e herança, seja de qualquer parte do mundo, vai continuar tendo um apelo global. As coisas só devem ficar mais competitivas, o que significa que você precisará trabalhar mais e de uma forma ainda mais inteligente.   Fonte: trendwatching.com

Tags: