Canal
Geral

Ponto de Venda: como fazer uma boa escolha?

Por: 0 22 de Dezembro de 2010

Os conhecidos 4Ps de Marketing, apesar de serem conceitos já muito debatidos, ainda são muito atuais e continuam sendo essenciais para qualquer empresa, especialmente àquelas que precisam de um bom local para operar o seu negócio. Trataremos aqui um pouco sobre o ponto de venda.

[caption id="attachment_42413" align="aligncenter" width="483" caption="Ponto de venda: escolha é fundamental para o sucesso"]Ponto de venda: escolha é fundamental para o sucesso[/caption]
Essa é uma questão que ainda tira o sono de muitos empreendedores. E, então, como resolver essa delicada questão? Uma boa localização pode ser determinante entre o sucesso e o fracasso de um empreendimento. A questão do ponto não pode e nem deve ser separada dos demais componentes do marketing, portanto, deverá haver coerência entre Ponto (ou Praça), Produto, Preço e Propaganda. A correta escolha de um ponto de venda deve levar em conta os seguintes fatores: a facilidade de acesso, características da população local, a concorrência direta e indireta que opera na região e, por fim, avaliar o imóvel em si, ou seja, se o mesmo tem condições de acomodar o empreendimento. No atributo acesso, deve-se conferir os seguintes aspectos: • Facilidade de acesso por meio de transportes coletivos;
  • Se a rua é conhecida ou não;
  • Corrente de tráfego para não obrigar o cliente a cruzar a pista contrária;
  • Não obrigar o cliente a percorrer trajeto mais longo para encontrar balões/ retorno;
  • Compradores motorizados não gostam de dirigir em vias onde haja tráfego ruidoso de caminhões e ônibus parando e saindo constantemente;
  • Estacionamento no local do imóvel ou bem próximo;
  • Facilidade de visibilidade da loja (loja situada após uma curva, onde só é visível quando o tráfego já se encontra em cima da entrada para o estacionamento, pode ser considerada de acesso fraco);
  • Barreiras geográficas (pontes, rios, mar, ferrovias, montanhas, etc). Outro atributo muito importante é a população, sobre a qual deveremos considerar: Verificação do nível de renda;
  • Consumidores em potencial (nível de hábitos e comportamento de compra, locais onde realizam suas compras, grau de fidelidade com estes locais, freqüência, motivos que os levam até os locais, quais pontos fortes e fracos destes locais). Já no que se refere a concorrência, considerar os seguintes aspectos: Deve ser avaliada em razão das suas estratégias de localização, isto é, deve ser entendido para onde tem geograficamente sido a expansão, ou mesmo fechamento, das lojas dos seus principais concorrentes;
  • Cabe destacar também que aquilo que às vezes parece "ser" não é de fato;
  • A proximidade de lojas com produtos semelhantes (concorrentes diretos) é benéfica para vários segmentos de mercado. Por fim, resta analisarmos as características do IMÓVEL que acomodará o seu empreendimento, as quais são: Indique a área ideal para sua loja em m2;
  • O imóvel tem Xm2;
  • Térreo é melhor que sobrado ou prédio;
  • Fachada livre para ser explorada visualmente (sem postes ou árvores);
  • Salão fácil de ser dividido para encaixe da planta de sua loja;
  • Imóvel limpo, arejado, com pintura nova;
  • Bem iluminado internamente;
  • Não deve ser área considerada perigosa no período noturno;
  • Fluxo bom de pessoas em frente a loja. Bem, depois deste trabalho, você estará pronto para iniciar o seu empreendimento ou começar uma vida nova em seu novo ponto. Sucesso a você e excelentes vendas!
Caprichar no ponto de venda pode ser o jeito mais eficaz de atrair consumidores.

As empresas costumas gastar mais em divulgação do que no ponto de venda, mas esquecem que ele também é uma mídia. E das mais importantes. ''Aloja é a melhor aliada da empresa, pois consolida a imagem e a atitude da marca". O ponto de venda precisa atender às expectativas criadas pelo marketing e pela comunicação.

É ali que o consumidor se torna o protagonista da propaganda. ''É o melhor momento para conquistá-lo, porque ele está com o cartão de crédito no bolso.

Confira algumas dicas:

Sobre a cor do ambiente Nunca pinte sua loja apenas pelo modismo ou pela beleza: a deve ser escolhida respeitando o conceito da marca. O azul, que transmite tranqüilidade e harmonia, pode não ser a melhor cor para uma loja de esportes radicais. Iluminação do ambiente Cuidado com a intensidade: se a luz é muito forte, o cliente fica impaciente e não permanece na loja; se é muito fraca, ele fica desestimulado. A iluminação deve ser usada para favorecer o produto no cliente. Ninguém vai se sentir mais bonito dentro de um provador com uma luz fluorescente vinda de cima, por exemplo. Em relação ao piso do estabelecimento Pode-se programar o caminho do cliente na loja usando piso de cor diferente. Mas isso precisa ser feito de forma natural. O cliente não deve perceber que está sendo forçado a fazer um percurso. O piso determina, para o consumir, se a loja é cara ou não: quanto menos piso aparente, mais barata a loja. Ofereça conforto aos clientes Os consumidores querem ser mimados pelas empresas. não importa a qual tribo pertençam. Os clientes esperam entrar na loja e ter água para beber, um sofá onde sentar, não se esqueça destes pequenos detalhes que pode fazer a diferença. Uma vitrine bem organizada Evite vitrines cheias de informação. Uma pessoa leva, em média cinco segundos para decidir se entra na loja e, por isso, a vitrine deve ser objetiva e organizada. O vazio é um dos segredos de uma boa vitrine: o espaço livre permite a visualização correta de cada produto. Vitrines abarrotadas são associadas a lojas baratas. ''A vitrine é um vendedor silencioso. Ela tem o poder de tirar o cliente do roteiro e faze-lo desejar um produto que até então não estava nos seus planos. Por isso, vale a pena investir". Veja como as grandes redes transformaram Ponto de Venda em Ponto de Relacionamento. Clique aqui

Tags: