Canal
Geral

'Planeta América' é o sonho de consumo da diretoria

Por: 0 15 de Dezembro de 2014

Com orçamento anual de R$ 24 milhões, quantia muito inferior aos dos grandes do futebol brasileiro, o América trabalha algumas melhorias em sua estrutura interna para tentar depender menos de empréstimos e formar bons jogadores. O grande sonho da diretoria foi apresentado durante as eleições do novo conselho de administração, no dia 11/12, na sede do Boulevard Shopping, em Belo Horizonte. A ampliação do CT Lanna Drumond vai virar realidade em breve e custará entre R$ 12 e R$ 15 milhões. Quem coordenou a criação do projeto foram os presidentes Olimpio Naves e José Flávio Lanna Drumond, ambos de saída da diretoria. Teodomiro Braga sugeriu o nome: “Planeta América”, que abrigará departamento profissional e categorias de base em um só lugar.

Foto: Divulgação.
[caption id="attachment_439103" align="aligncenter" width="562"]Perspectiva do Planeta América. Perspectiva do Planeta América.[/caption] Ocupando um espaço de 150 mil metros quadrados, o Planeta América terá nove campos (seis em tamanho oficial), um pequeno estádio que caberá cerca de 500 torcedores, hotel do elenco profissional, alojamentos das categorias de base, piscinas, quadras poliesportivas, salas de musculação e um parque aquático destinado a sócios do clube, já que o antigo Centro de Lazer do América Mineiro, no Bairro Ouro Preto, na Pampulha, dará lugar a condomínios residenciais. Para juntar recursos e iniciar as obras, o Conselho pretende permutar alguns patrimônios, como o terreno de Três Barras, em Contagem, e o CT de Santa Luzia, atual residência das equipes Sub-15 e Sub-17. “As dificuldades para manter dois CTs distintos, longe um do outro, são grandes e injustificáveis, por isso, estamos preparando a transferência das categorias de base para a Pampulha, no terreno vizinho ao CT Lana Drumond.”, diz Olimpio Naves, um dos autores do projeto, em entrevista exclusiva ao Superesportes. De acordo com Naves, que deixará o cargo de diretor de patrimônio do América, até 2020 o projeto estará totalmente concluído. “Entre um e dois anos devem entrar recursos. Existe possibilidade de tentarmos adiantar alguma permuta. Mas dentro de três anos teremos muita coisa em funcionamento. Talvez em cinco chegue àquilo que a gente deseja.”, acrescenta o agora ex-presidente. Recentemente, o CT Lanna Drumond passou por algumas reformas. A grama do campo principal foi trocada por uma espécie idêntica a do Mineirão e Independência. Nos outros três campos, a qualidade do relvado ainda é inferior. No espaço, foram construídas salas administrativas, de musculação e fisioterapia. A portaria do CT também foi modernizada. No entanto, o clube segue batalhando recursos para deixar sua casa no mesmo nível às dos rivais Cruzeiro e Atlético e de equipes do futebol europeu.
Por Rafael Arruda/Superesportes.

Tags: