Canal
Geral

<!--:pt-->Perspectivas para 2010: um ano de otimismo<!--:-->

Por: 0 6 de Janeiro de 2010

Depois de um ano marcado pela crise financeira mundial, que o Brasil soube enfrentar, diga-se de passagem, e ainda se consolidar como líder regional, 2010 promete um PIB nacional em torno de 5%, segundo projeção de analistas econômicos. "Há os efeitos da política monetária, a volta da confiança dos empresários, e a ociosidade da indústria se reduzindo - tudo isso são estímulos para acelerar o investimento", diz Zeina Latif, economista-chefe do banco holandês ING. A previsão geral é de aquecimento na atividade econômica: análise feita pela LCA Consultores haverá uma alta de 20% da taxa de investimento no País. De acordo com o economista-chefe da consultoria, Bráulio Borges, o programa habitacional do governo "Minha Casa, Minha Vida" é um dos fatores que contribuirá com o aquecimento da economia gerando crescimento na construção civil. "A recuperação da atividade econômica, verificada com maior intensidade desde o último trimestre de 2009 está reduzindo a ociosidade, que é o fator primordial para o empresário investir", afirma. Outro setor em que entra o ano com expectativa de melhora, apesar de sofrer com a Zona Máxima de Restrição de Fretamento (ZMRF) imposta pela Prefeitura de São Paulo no mês de julho passado é o do transporte por fretamento. "Fechamos o ano de 2009 com perdas em torno de 12% no fretamento contínuo. Já em 2010, nossa esperança é o segmento turístico de eventos e de negócios que vem alcançando um resultado bastante significativo. As empresas continuam realizando atividades permanentemente. Hoje temos em São Paulo uma média de 80 mil eventos por ano. A cidade é propícia para compras e para os grandes eventos e 2010 está recheado de novidades, com shows de bandas internacionais, festivais, rodeios, feiras, congressos, workshops, exposições, conferências e encontros. Em 2014 teremos a Copa e em 2015 já temos programado um evento internacional do Rotary Clube", declara Silvio Tamelini, ex-presidente da Fresp - Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo. Para Tamelini, provavelmente outros setores estão ganhando com a evasão de passageiros do transporte coletivo privado, entre eles: estacionamentos, abastecimento de combustíveis, manutenção de automóveis, montadoras etc. A projeção para 2010, da Marcopolo, montadora de ônibus, é que a produção fique em torno de 4,2 mil a 4,4 mil unidades. Com isso, a fabricante de veículos para fretamento e turismo deve se recuperar da queda de 5% que sofreu em 2009 e voltar ao patamar de 10% no próximo ano e com confiança de aumento na produção. Já a projeção dos analistas do mercado de TI - Tecnologia da Informação é de alta mundial de 3,2%. Isso inclui o maior volume de venda de hardwares, softwares e serviços. Brasil, Rússia, Índia e China (Bric) serão os principais responsáveis pelo o impulso na área de tecnologia, com gastos entre 8% e 12%. "O que é diferente para 2010 é que a recuperação econômica vai liberar parte dessa pressão sobre os gastos, permitindo que vários pontos cruciais de transformação sejam atingidos em um ano de retomada econômica", analisa o vice-presidente e analista chefe do instituto de pesquisas IDC, Frank Gens. A opinião é compartilhada por Ezequias Sena, presidente da On Line Brasil, empresa de estratégias em tecnologias e negócios: "O cenário para o ano prevê a retomada do crescimento das empresas e a volta dos investimentos em TI. Mas é preciso analisar o contexto e entender os principais problemas para buscar soluções adequadas". Ainda no setor de tecnologia é previsto ainda a expansão dos serviços de cloud storage - armazenamento de dados à base da virtualização de grande porte. Segundo Hunter Hagewood, diretor de negócios da Nevoa Networks, no escopo de um projeto de tecnologia da informação os investimentos são distribuídos da seguinte forma: "40% do valor pago destina-se aos hardwares e 60% recaem para os softwares", no entanto, há casos que em um determinado tempo, cerca de 1 ou 2 anos, há a necessidade de reinvestir. "Quando o projeto é desenhado, a empresa detém um certo volume de dados, compatíveis com a solução adotada; com o passar do tempo é normal que aumente o volume de dados para armazenar. O segredo está em como administrar crescimento sem aumentar custos extras". O segmento de segurança privada também deve se beneficiar com o investimento em tecnologia. A MoniVox, empresa de tecnologia voltada para o desenvolvimento de hardware e aplicativos de software para o mercado de radiocomunicação analógico e digital, deve lançar ainda no primeiro semestre, a placa MVX100, que é a interface de hardware para permitir a comunicação entre o microprocessador do rádio e aplicativos inteligentes. O ano que se inicia promete ser um período de discussões e de propostas sobre a responsabilidade social e ambiental, pois o período que terminou será lembrado pelo aumento das desigualdades e por desastres climáticos. Entre esses acontecimentos estão às enchentes no início de 2010 e outros desastres pelo mundo, que sofre com efeitos da natureza. Além disso, vários países enfrentam a falta de água e alimentos. "O desenvolvimento de um país depende da inserção social que possibilita a todos o acesso às necessidades básicas. Para que haja a mudança, toda a sociedade deve se mobilizar para diminuir efetivamente as desigualdades existentes", ressalta Haércio Suguimoto, presidente do Lar Escola Cairbar Schutel. Alcançar as metas também pressupõe estabelecer um bom plano de comunicação. Segundo Clarice Pereira, jornalista e especialista em Marketing, o ideal é aplicar por completo o composto de comunicação, mas se isso não for possível, é importante não esquecer de utilizar as ferramentas de marketing, publicidade, propaganda, merchandising, assessoria de imprensa etc. "Uma organização que tenha como pressuposto aumentar as vendas de seus produtos, deve apostar na comunicação mercadológica. Se a questão é visibilidade e credibilidade, por que não utilizar das ferramentas de comunicação institucional? Já uma empresa que precisa trabalhar a integração de seu público-interno, o melhor é adotar posturas indicadas pela comunicação interna". Como se vê, o ano do tigre é o momento de ter confiança, de saber tomar decisões certeiras para tornar-se um vencedor, além de propor novas idéias e enfrentar situações de risco. Prepare-se! O ano do felino só está começando.

Tags: