Canal
Geral

O Festival de Cannes na visão de Sheila Arandas

Por: 0 14 de Junho de 2014

O Festival de Cannes desse ano deixou várias impressões, tanto para quem acompanhava de perto, ou pelos veículos de comunicação. Uma delas foi que a maioria dos cases premiados tinham um certo apelo social, e, talvez, a má divisão entre publicidade e marketing promocional/live marketing na categoria promo. Em entrevista com a Ariane Feijó, Ricardo Franken CCO/COO da Out Promo, contou sobre as suas experiências e impressões do Festival. Veja aqui. Veja também: "Porque eu não fui ao Cannes Lions 2014", por Ariane Feijó.  O Promoview também foi conversar com a Sheila Arandas, diretora da agência Arandas, que esteve presente no evento junto com o diretor de conteúdo da agência, Christian Baes. [caption id="attachment_404228" align="alignleft" width="210"] Sheila Arandas, diretora da Arandas Marketing Boutique.[/caption] Promoview: Como foi a experiência em Cannes 2014? Você já tinha participado antes do Festival? Sheila Arandas: Fui a Cannes com Christian Baes, diretor de conteúdo da Arandas. Nós nunca havíamos ido ao Lions, até porque, na maior parte da minha carreira eu fui cliente e não agência e o Christian atuava em outra área. Acho que esse é um bom ponto: os clientes deveriam ir ao Cannes Lions, é um evento também atrativo para eles. Promoview: A Arandas inscreveu algum trabalho este ano? Sheila Arandas: Não inscrevemos, e, sinceramente, não sei se inscreveremos no futuro. Apesar de ser um superevento, para vencer no Cannes Lions existe um “jeito”, quase uma fórmula. A Arandas é uma agência boutique, nosso compromisso é não apenas com a criatividade, mas com a pertinência das ações que realizamos. Especificamente nas categorias Promo & Activation, PR and Direct vimos peças e cases criativos, inspiradores, lindos vídeos, porém avaliamos que muitos cases seguramente não trouxeram resultados efetivos para as marcas. Promoview: O que achou do resultado de Promo & Activation? Sheila Arandas: Em primeiro lugar, percebemos que existe uma grande similaridade entre as categorias Promo & Activation, PR and Direct – depois de conhecer os trabalhos não se sabe mais a real categoria dos mesmos, até porque a maioria dos cases é inscrita nessas duas categorias, um recurso para aumentar as chances de premiação. Também vale destacar que a quase totalidade das agências que inscrevem trabalhos são agências de publicidade e não agências de promo/live marketing. Ou seja: vimos videocases incríveis, sensacionais e ideias nitidamente empacotadas para ganhar Leões, criadas por gente brilhante, mas que não é da área. É aquela coisa: trabalhar com promo exige excelência na operação e resultados concretos, não apenas uma ótima ideia bem produzida. Ainda assim, devemos respeitar o empenho dos jurados que dedicam horas para conhecer e avaliar os trabalhos, mas de fato sentimos falta de conhecer trabalhos realizados por agências genuinamente de promo. Promoview: Uma das coisas que todas as disciplinas do marketing estão buscando é “entrar no diálogo” dos consumidores. Das campanhas que viu em Cannes, conseguiu vislumbrar novas formas de criar estes diálogos? Sheila Arandas: Na verdade reafirmamos o que já praticamos em nosso cotidiano: o consumidor precisa ser engajado de diversas formas, on/off-line, com inputs vindos em múltiplos formatos. Gostamos muito da aclamada campanha da Volvo Trucks, da agência sueca Forsman&Bodenfors. Além de apresentar o case, a F&B fez uma ótima palestra no festival, colocando ao seu lado, no palco, o cliente, reforçando a importância da “parceria” cliente/agência.Também achamos muito bacana a ação “Almost Identical” da Beldent Infinit, criada pelos "hermanos" da Del Campo Saatchi&Saatichi, de Buenos Aires. Outro destaque, em nossa opinião, é o case “Lego, Blind Art Project” da agência Serviceplan de Munique, Alemanha, pois é um case agregador para a marca, reforçando seu posicionamento. Promoview: Você considera importante estar presente no Festival? Recomenda a outras agências fazerem este investimento que voce está fazendo? Sheila Arandas: É um investimento que não é barato, especialmente para as agências de live marketing e/ou para agências independentes, como a Arandas Marketing Boutique. Seguramente para as grandes agências de publicidade, que têm margens bem maiores do que as agências de live marketing, é um custo menos impactante e que já faz parte do negócio deles há anos. No entanto, achamos importante estar no Cannes Lions e enviar os melhores talentos da agência para que tenham a chance de respirar criatividade e boas ideias. Em agosto faremos uma palestra voltada para estudantes e recém-formados para compartilhar nossa experiência, assistir e avaliar cases ao lado de uma moçada criativa e ávida por novidades. Pensamos que é papel da agência aproximar os novos talentos de conteúdos interessantes, que para a grande maioria ainda é inacessível. Enfim, vale sim a pena ir ao Lions. Nos últimos dias brincamos dizendo: “Crianças vão para Disney, publicitários vão para Cannes”.

Tags: