GERAL

GERAL

Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

O dia em que a grande metrópole dormiu

Por: Antonia Goularte. 25 de Janeiro de 2021

Nessa segunda-feira (25), a cidade de São Paulo está completando 467 anos com uma grande programação cultural especial, preparada pela Prefeitura de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC).

Sob o tema “Memória, Consciência e Esperança”, as atividades planejadas vêm para, além de celebrar a memória da cidade, homenagear as vítimas da Covid-19, assim como os profissionais de saúde, verdadeiros heróis deste período, além de reforçar a conscientização da sociedade para com os cuidados de distanciamento social, e, por meio da arte e da cultura, trazer esperança e confiança em dias melhores, agora reforçadas pela chegada da vacina.

Será que o momento é de comemorar alguma coisa? A cidade vive um verdadeiro caos em todos os sentidos. Não vou entrar na seara da política porque esse não é o foco das postagens do Promoview, no entanto, é preciso ressaltar que não se comemora nada com milhares de pessoas morrendo, desempregadas, em situação de vulnerabilidade social e outros tantos problemas.

São Paulo sempre foi palco de grandes eventos, tanto culturais quanto corporativos, no entanto, desde que a pandemia do Coronavírus chegou ao Brasil em março de 2020, o que se viu a partir daí foi apenas o caos.

A ‘guerra de egos’, ao invés de ajudar a melhorar a situação da cidade, apenas piorou. Medidas de controle da pandemia totalmente desencontradas apenas desencadearam uma sucessão de protestos por parte dos profissionais do setor de eventos.

Falo aqui do setor de eventos em especial, porque, sem dúvida nenhuma, foi um dos mais prejudicados, e, o pior, sem nenhuma justificativa que fosse realmente plausível para a não realização de uma feira de negócios.

Ir às urnas para eleger prefeitos e vereadores, que todos sabem, apesar da maioria dos veículos de mídia não divulgar, gerou aglomeração de pessoas no momento em que a regra principal era manter o distanciamento.

No entanto, as feiras de negócios, fundamentais para a economia do País como um todo, que seguiam todos os protocolos de segurança determinados pelos Órgão de Saúde, foram proibidas.

Fernando Lummertz, especialista do setor de feiras de negócios, em seu artigo para o Promoview disse: “Não há nenhuma justificativa relevante para que a liberação não ocorra. Os eventos de negócios são absolutamente fundamentais para gerar negócios, e, no momento em que observamos uma queda dramática no nível de empregos, a ampliação das oportunidades de negócios é sinônimo da manutenção e da recuperação dos postos de trabalho para uma imensa quantidade de profissionais das mais diversas atividades econômicas.”

“Não são apenas postos de trabalho do setor de eventos. A força dos eventos de negócios se manifesta em toda a engrenagem industrial, comercial e de prestação de serviços. E tem resposta rápida, que é o que precisamos para enfrentar essa crise.”, completa Lummertz. Veja o artigo completo aqui

Cansados de ver o setor de eventos indo para o buraco, gerando protestos por parte dos produtores de eventos, Fernando Lummertz, Paulo Otávio, o P.O, com o apoio do Promoview resolveram mostrar que era possível realizar uma feira de negócios com segurança e colocaram em prática a Expo Retomada. Um grande sucesso que colocou o portal no radar dos players da área de exposições e feiras de negócios.

São Paulo é uma das cidades mais importantes do mundo e os números impressionam, já que estamos falando de mais de 12 milhões de habitantes, da 4ª maior metrópole da América Latina, de 111 parques espalhados pela cidade, de mais de 100 museus e do maior polo cultural da América Latina.

Além disso, a cidade já foi tema de música de Caetano Veloso e recebeu diversos apelidos, como "Selva de Pedra" e "A cidade que nunca dorme".

De fato, São Paulo realmente é uma cidade que nunca dorme, que está sempre ligada nos 220 volts, seja para os moradores, que acordam cedo para começar a rotina e emendam o trabalho em um bar, uma reunião com amigos ou mesmo em uma balada, ou para os turistas, que possuem tantas opções de pontos para visitar que, por vezes, podem ficar até um pouco confusos em qual escolher.

Essa era a São Paulo até março de 2020. A partir daí, o que se viu foram bares e restaurantes fechados, feiras de negócios e eventos culturais suspensos, parques fechados, um Plano São Paulo repleto de vai e vem que não levou a lugar nenhum.

O momento pede conscientização, ou seja, faça a sua parte, evite aglomerações, use máscara, mantenha o distanciamento social, abuse do álcool gel, higienize constantemente suas mãos e os produtos que manuseia.

Não fique sentado apenas esperando que a vacina vá fazer um milagre. É preciso ter consciência de que, no momento, ela é um paliativo que nos dá a esperança de que dias melhores virão e que a cidade de São Paulo vai voltar a ficar acordada 24 horas por dia.

Tags: artigo | aniversário-de-São-Paulo | Antonia-Goularte