Canal
Geral

Ney Queiroz fala sobre o RP no mercado promocional

Por: 0 10 de Maio de 2014

Em uma era onde a imagem é tudo para uma empresa, não é difícil perceber a importância de um profissional de Relações Públicas dentro de uma agência de marketing promocional. No entanto, parece que falta integração entre o mercado e os profissionais da área. Em entrevista exclusiva para Camile Kogus, do Promoview, Ney Queiroz de Azevedo, diretor e sócio-fundador da Agência Green Digital, dá o seu parecer sobre essa profissão. Graduado em Comunicação Social e Direito, e mestre pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Ney também estudou Marketing Digital na Harvard University (EUA). Além disso, coordena os cursos de Publicidade e Propaganda e Relações Públicas das Faculdades Integradas do Brasil - UniBrasil.

Foto: Camile Kogus.
[caption id="attachment_418953" align="aligncenter" width="392"]Ney Queiroz Ney Queiroz de Azevedo.[/caption] Promoview: Ney, você estudou marketing no Brasil e também no Exterior. Existe muita diferença entre ambos os mercados ? Ney Q. de Azevedo: Eu acredito que não. O que tem acontecido no mundo, as transformações, a tecnologia, especialmente essa nova realidade digital que a gente vive, afeta o mundo todo e a sociedade, e lógico que ela tem repercussões no marketing, na comunicação, e isso afeta o mundo todo, independente da situação de um país ou outro. É lógico que existe diferença, apesar da gente estar nessa mesma realidade, tanto no marketing quanto na comunicação. Essas transformações que estão acontecendo no mundo precisam ser analisadas no contexto nacional, cada país tem suas peculiaridades e a gente enfrente essas mudanças no mundo de acordo com a nossa realidade brasileira. Promoview: Recentemente foi realizado em São Paulo o RP Week, evento que teve como objetivo aumentar a interação entre estudantes de Relações Públicas e o mercado. Para você, existe uma certa falta de interação entre alunos e empresas que necessitem de um profissional de RP? Ney Q. de Azevedo: Eu acredito que o estudante de Relações Públicas, no Brasil, ainda luta para ocupar seu espaço no mercado de trabalho, especialmente em relação ao conhecimento do mercado e suas atividades. Esse é o grande desafio. O mercado precisa conhecer melhor a atividade de Relações Públicas no Brasil. Esse segmento ainda é pouco conhecido e pouco valorizado. Essa interação talvez realmente seja uma necessidade, mas ao mesmo tempo nós vemos muitas empresas que valorizam os profissionais de Relações Públicas, estão buscando pessoas qualificadas para atuar no ramo, e é aí que essa área se torna muito grande para os estudantes. Muitas empresas vêm até a faculdade oferecer vagas para estagiários de Relações Públicas, porque eles não estão achando profissionais qualificados no mercado. Nós temos muitos estudantes que estão hoje atuando no ramo pois começaram como estagiários nessas empresas. Então há sim uma procura. Promoview: Qual é o papel de um profissional de Relações Públicas dentro de uma agência de marketing promocional? Ney Q. de Azevedo: O profissional de Relações Públicas desenvolve uma série de atividades, e esse é um ponto que geralmente se cria muita polêmica. Afinal o que o profissional de RP faz ou deixa de fazer ? O que eu vejo como o mais importante é que esse profissinal tem uma formação mais completa e uma visão mais holística sobre o que acontece na agência, com o mercado e com a situação dos clientes. A partir disso, ele pode trazer soluções para as empresas, que passam desde questões relacionadas à comunicação interna, publicação organizacional. Também pode atuar na área de eventos, enfim, ele tem toda uma gama de atividades relacionadas e que muitas vezes profissionais de outras áreas como Jornalismo e Publicidade não vão ter as habilidades corretas para realizá-las. Promoview: Atualmente, no Facebook, existe um coletivo chamado Todo Mundo Precisa de Um RP, que visa fomentar o mercado brasileiro de Relações Públicas. Você acha que esse tipo de iniciativa pode dar um "gás a mais" nesse setor? Ney Q. de Azevedo:  Sim, sem dúvida. Eu acho que toda iniciativa que visa valorizar a atividade de Relações Públicas é super bem vinda. Na verdade, qualquer atividade relacionada à área é importante. Em questão a Relações Públicas, isso é extremamente necessário no Brasil. Como eu já disse, essa é uma atividade ainda pouco conhecida e pouco valorizada no mercado, diferente de outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, o profissional de RP é extremamente valorizado, ocupa cargos de grande importância e destaque, enquanto aqui no Brasil isso não é regra. Então eu acredito que iniciativas como essa, com certeza, colaboram no fortalecimento dessa atividade. Essa não é uma questão pontual de uma ou outra faculdade, mas sim nacional. Aqui no Brasil nós temos essa dificuldade de fortalecimento que reflete da formação dos profissionais, pois há uma procura muito baixa de cursos de Relações Públicas no Brasil. Com exceção de algumas instituição públicas, a oferta de cursos de RP é baixa, pois a procura não é muito grande. Isso traz uma série de outras consequências, então eu acredito que essas inciativas ajudam a fortalecer a atividade e a mostrar a importância do profissional de Relações Públicas Promoview: Existe mais mercado de trabalho para os profissionais de RP dentro ou fora do Brasil? Ney Q. de Azevedo: Eu acredito que oportunidade de trabalho existe em todos os lugares. Nós não temos do que reclamar quanto às colocações. Bons profissionais com certeza conseguem boas colocações, não tenho dúvida. Se tratando de Relações Públicas, justamente por essa escassez de cursos de graduação, e por consequência, a falta de profissionais qualificados, eu acredito que isso diminuiu a concorrência e melhora as possibilidades para que o bom profissional se coloque no mercado. Então eu não vejo problemas quanto a isso, principalmente porque as grandes empresas, as multinacionais, buscam o profissional de Relações Públicas. Ao mesmo tempo fora do Brasil também existe muita oferta de emprego. Em resumo, eu acredito que o bom profissional, aquele que busca sempre estar atualizado, que não para de estudar, que busca entender não só a sua atividade mas também o contexto, a sociedade, as transformações e que sempre está preparado, esse profissional sempre vai encontrar uma boa colocação. Promoview: O que pode ser feito para que esse profissional seja valorizado no mercado como um todo? Ney Q. de Azevedo:  No caso de Relações Públicas, é necessário um esforço conjunto das empresas profissionais da classe e dos estudantes para que essa atividade seja mais valorizada. Que a relevância desse profissional seja mais demonstrada no mercado de trabalho e assim seja construída uma imagem mais forte do profissional de RP.

Tags: