Canal
Geral

Movimento de ‘boleiros’ vira franquia de moda jovem

Por: 0 6 de Dezembro de 2014

Ídolo do futsal brasileiro – comparado a Pelé, nesta modalidade – Falcão quer ser um vencedor também quando o assunto for franquia. O ex jogador e agora comentarista, Denílson, e o atacante do Al-Gharafa, Nenê, buscam este mesmo objetivo nos negócios. Juntos, acabam de lançar uma rede de moda jovem, descomplicada, que oferece conforto e estilo. Nasce, assim, a 100RSDN, que já conta com um quiosque em operação em São Paulo e todo o empenho dos craques, que acompanham, de perto, todas as decisões envolvendo o novo negócio.
Fotos: Divulgação.
100RSDNA inspiração para o nome veio de um movimento que nasceu entre os boleiros: cruzar os braços para tirar fotos ou comemorar gols “sem risadinha”. Mas o grande diferencial não é apenas a graça do movimento – que ganhou adeptos como Galvão Bueno, o cantor Justin Bieber e o astro de Hollywood Tom Hanks: a 100RSDN é uma franquia de quinta geração.
“São as empresas franqueadoras que oferecem suporte 360º à rede; realizam a gestão compartilhada e ainda oferecem a garantia da recompra do negócio.”, explica Romério Souza, do Grupo Alquimia, responsável pela gestão da nova rede.
É com esta proposta de negócio – somada à excelente qualidade dos produtos de moda jovem, urbana, alegre e fácil de usar– que a 100 RSDN pretende atrair investidores de todo País. O franqueado da 100 RSDN pode optar por abrir quiosques, lojas de rua ou em shoppings. O investimento num quiosque exige investimento inicial a partir de R$ 80 mil. Para lojas, o valor é a partir de R$ 350 mil. [caption id="attachment_437229" align="aligncenter" width="562"]Falcão e Denilson. Falcão e Denilson.[/caption]
A meta é abrir, até o final de 2015, 30 lojas. Em cinco anos, a aspiração é ter uma rede com 300 unidades. “As franquias de quinta geração procuram bons operadores, ainda que eles não tenham todo o capital necessário para investir numa unidade franqueada. É por isso que a franqueadora poderá se associar ao franqueado, financiando até 50% do negócio.”, detalha Souza.
Também faz parte dessas novas franquias a administração inteligente do ponto comercial, de maneira a facilitar o pagamento do aluguel nos primeiros anos do negócio, e realizar a manutenção do contrato. “E para trazer mais segurança ao investidor, faz parte do contrato de franquia uma cláusula de recompra, ou seja, se o franqueado não se adaptar ao modelo de negócio, a franqueadora adquire a operação devolvendo até 100% do capital investido.”, completa Souza.
As facilidades para o franqueado não terminam por aí: após assinar o contrato e cumprir todos os trâmites da franqueadora, ele recebe a loja ou o quiosque prontinhos, um sistema conhecido como “chave na mão”, apenas para entrar e trabalhar.
E mais: todos os produtos comercializados pelo franqueado são entregues em consignação. “Com isso, eliminamos o investimento desnecessário em estoque e teremos nas lojas, sempre, produtos novos -  o que agradará o cliente. O franqueado não terá que administrar produtos de coleções antigas.”, finaliza Romério Souza.

Tags: