Canal
Geral

Modelos deram dicas de cantadas para os nerds

Por: 0 29 de Janeiro de 2011

Com a abertura do setor grátis da Campus Party, no dia 18/01, as modelos que trabalharam nos estandes dos patrocinadores do acampamento nerd tentaram dividir a atenção do público. Tentaram. Os campuseiros estavam mais interessados nas telas dos computadores do que nas beldades. E as modelos colocaram em dúvida o "poder de sedução" dos geeks e disseram ao R7 que eles têm dificuldades de puxar papo com garotas.

[caption id="attachment_91870" align="aligncenter" width="580" caption="Alessandra Vial, que trabalhou em um estande da Campus Party."][/caption] Vivian Higa, 23 anos de idade, é a promoter mais próxima do público da Campus Party. Ela joga videogame e tem amigos campuseiros. Veio com uma tiara e rabo de gato, um símbolo clássico da cultura pop nerd. A proximidade também rendeu cantadas disparatadas. "Alguns chegavam e me diziam "miau", outros rosnaram... não dá, né?"

[caption id="attachment_91871" align="aligncenter" width="580" caption="Vivian Higa é solteira e diz que os nerds devem ser eles mesmos e não tentar fazer gracinhas."][/caption] A reportagem do R7 pôde testemunhar a aproximação de dois rapazes a uma dupla de garotas que promoviam uma marca de macarrão instantâneo. Eles começaram as chamando de "tias". A cantada terminou mais rápido do que o tempo de preparação da comida divulgada.

[caption id="attachment_91872" align="aligncenter" width="580" caption="Stephany Félix Caramoli, 19 anos, solteira, afirma que os campuseiros seriam mais felizes em suas cantadas se deixassem de lado as "questões materiais", ou seja, largar um pouco os PCs e pensar um pouco mais na mulherada"][/caption] Ana Cristina Gomes, de 26 anos de idade, trabalha pela primeira vez como promoter na Campus Party. Ela tem experiência de cinco anos em eventos e logo no primeiro dia já deu uma cutucada nos participantes. "Aqui o público é bem diferente. Eu poderia estar pelada que eles nem iriam me dar bola."

[caption id="attachment_91873" align="aligncenter" width="580" caption="Ana Cristina Gomes, solteira, conta que uma qualidade sempre apreciada é ser educado. Ter cavalheirismo em pequenas atitudes faz diferença."][/caption] Entre as suas experiências em mais de cinco anos trabalhando em eventos, Ana Cristina já conheceu um outro tipo de nerd durante a Anime Friends, feira de cultura pop japonesa que também traz apaixonados por videogames. Segundo Ana Cristina, no outro evento as pessoas davam pause nos jogos sempre que ela passava.

[caption id="attachment_91874" align="aligncenter" width="580" caption="Roberta Martins, 27 anos, noiva, também afirma que os nerds devem tentar conversar. - Se for de uma forma agradável, dá até para falar de videogame."][/caption] [caption id="attachment_91875" align="aligncenter" width="503" caption="Vanessa Corsato, 24 anos, compromissada, aponta o caminho da inteligência e da simpatia para o geek se dar bem. "Só não pode falar difícil, querer parecer muito, sabe? Não pode ser pedante, então?""][/caption] [caption id="attachment_91876" align="aligncenter" width="503" caption="Carina Sizoto, 24 anos, casada, ensina que se o geek aprender a não chegar falando "aí, gostosa", já é um bom passo."][/caption] Fonte: João Varella/R7. Gostou? Comente.

Tags: