Canal
Geral

Minhas desculpas à Alice que é Aline e ao Zé que é Coelho

Por: 0 16 de Agosto de 2011

Em meu texto “Não se metam com a criação, pô!”, recém-publicado, resolvi fazer homenagens a criativos do Brasil inteiro e cometi algumas gafes, típicas de alguém que escreve com certa presunção de que os erros acontecem com os outros e não comigo. Pô, desculpa aí, vai. É que escrevi na semana em que fui empossado na Diretoria da Ampro Rio e o meu ego idiota de criativo estava tão inflado que pavão se mostrando pra fêmea não teria vez. Bem feito pra mim que, ariano assumido, criativo de carteirinha e bobo da corte, tenho que aprender a fazer revisão com mais cuidado e a ter mais humildade mesmo (os criativos por aí que façam um “mea culpa” comigo. Não sou o único assim não. Minha mãe dizia que eu era bonito e inteligente e eu acreditei porque me convinha). Chega de enrolação. Aí vão as correções: Chamei a lindinha da Aline Brault, da Marcativa da Bahia, de Alice Brault. Aline, perdão, estava no País das Maravilhas e pensei em você. Perdoa seu amigo, valeu? Pior, o Zé Luis, meu parceiro e diretor de Criação da Conceito, é conhecido como Zé Luis Coelho e eu comi o Coelho (autofagia pura). E antes que alguém me pergunte, o Zé não é parente não. É Coelho sim, mas de outro buraco. Por último, meu balde sumiu mesmo e agora, não tendo o que chutar, fico olhando para o pessoal da agência com cara de raiva, à procura dele, e eles, fugindo de mim com medo de eu mudar o alvo do chute. Errar é humano. Mas perseverar no erro é diabólico e, por isso, sempre que puder, vale a pena corrigir os erros. E é isso que tentei fazer nesse texto. Pô, bem que as Faculdades do Brasil podiam seguir meu exemplo e se desculpar com os "Promocitários" pelos erros que vem cometendo com eles há alguns anos. Bom, mas aí vai ser um novo texto que, um dia, eu quero escrever por eles.

Tags: