Canal
Geral

<!--:pt-->Mercado imobiliário investe em brindes<!--:-->

Por: 0 7 de Abril de 2010

A estratégia de oferecer brindes e prêmios para atrair os clientes começa a ser utilizada na venda de imóveis de padrão mais alto. O recurso, explicam as construtoras, é uma forma de buscar diferenciação em meio a um mercado cada vez mais competitivo e abarrotado de oferta.

mercado-imobiliario

Regalos só são válidos quando trazem uma vantagem real para o comprador, alerta, porém, o diretor da Regional Sul da Rossi, Gustavo Kosnitzer. E pela velocidade com que a concorrência segue os movimentos, acrescenta, é preciso reinventar constantemente os benefícios. Além de constatar a oportunidade na ponta do lápis, diz Kosnitzer, uma característica nacional conspira para promoções caírem no gosto do consumidor. "O brasileiro gosta de brinde. Independentemente da classe social. Mesmo que o valor não seja significativo, é uma atitude simpática da empresa," interpreta Kosnitzer. Em Porto Alegre e Novo Hamburgo, a Rossi oferece prêmios como kits cozinha, motocicletas e até viagens a Disney para quem adquirir imóveis que podem custar até R$ 600 mil. O gerente de marketing da Goldfarb, Marcelo Abbud, lembra que as promoções da empresa valem tanto para os imóveis incluídos no programa Minha Casa, Minha Vida quanto para empreendimentos de maior padrão. Para ele, chamar a atenção do cliente e mostrar uma vantagem competitiva é essencial para fechar o negócio. "O mercado está muito competitivo, e os imóveis todos muito parecidos. Quem se diferenciar sai na frente. Ideias novas é que vão definir quem vai vender mais. Preferimos dar brindes e prêmios que vão servir para a nova moradia," avalia Abbud. Desde o ano passado no Estado, a Goldfard distribui brindes e vantagens como fogões, home theaters e até três meses de condomínio grátis. Em meio à disputa com as gigantes do mercado nacional, a gaúcha Garst Construções também se vale de um brinde para dar mais velocidade de vendas a um empreendimento de classe média alta. A empresa fechou uma parceria com uma fabricante de móveis e promete presentear o cliente com a cozinha mobiliada. "O valor da cozinha não está embutido no preço. É um bom diferencial da concorrência," entende Sergio Turkienicz, diretor da Garst. O presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS), Paulo Garcia, diz esperar que, para promover o Minha Casa, Minha Vida também se iniciem estratégias mais agressivas em imóveis voltados para famílias com renda entre três e dez salários mínimos. Segundo Garcia, no Estado apenas as unidades voltadas à faixa de renda mais baixa e que têm subsídio apresentaram grande demanda.

Tags: