Canal
Geral

Presença on line: por onde começar a medir?

Por: 0 6 de Janeiro de 2011

Se sua empresa ainda não mensura os acessos pela web de forma qualitativa e quantitativa, é melhor começar a se preocupar. Cada vez mais, antes de efetuar a aquisição de um determinado produto ou contratar um serviço, as pessoas vão aos mecanismos de busca para obter informações sobre eles e, também, colher os feedbacks de quem já adquiriu ou contratou o que as empresas ofertam. É a tal da métrica, termo que ganhou espaço em almoços e encontros de negócios no final de 2010 e desponta com força para este ano. A ferramenta mais popular é o Google e  passou a ser tão importante, como aprender matemática, inglês e português. Você precisa ter, ao menos, uma noção. A Wikipédia define métricas da seguinte forma: * Métricas são um sistema de parâmetros; * Métricas definem o que será medido; * Métricas geralmente são específicas para cada segmento; * As métricas são indicadores de desempenho. Podemos resumir que métrica é um sistema de parâmetros mensuráveis e padronizados. E a pergunta é: quais os objetivos de se trabalhar com as métricas na web? Diferente de outras mídias, a internet possibilita uma mensuração avançada em relação ao desempenho das marcas e sua reputação na rede. Reputação que é promovida espontaneamente pelos milhões de usuários espalhados pelo mundo. É muito importante ter acesso a informações de todos os locais de origem do tráfego de sua presença on-line e saber quais os países, regiões ou cidades que concentram maior acesso. O seu público alvo pode estar onde você não imagina. Mas, antes de falar sobre a análise de resultados em presenças on-line, ou melhor, sobre métricas, é preciso entender que não basta analisar as opiniões e os resultados de investimentos feitos no ambiente off-line. É também muito importante conhecer o nível de satisfação dos consumidores e possíveis evangelizadores das marcas por intermédio das páginas da web. Considere, por exemplo, o tempo médio que os usuários permanecem visitando o seu espaço na internet. Cuidado. Se o tempo for muito longo, pode não ser um bom sinal. Um tempo de permanência de nove minutos, por exemplo, pode indicar problemas na usabilidade do seu site. Por outro lado, este é um bom número para sites de bom conteúdo. Tome por base  o tempo médio mensal que os usuários investem na utilização da internet no Brasil, medido pelo Ibope: 48h26m por mês. Muitas vezes nos deparamos com empresas investindo consideravelmente em comunicação, publicidade e propaganda sem obter o retorno desejado. As causas podem ser simples. * As pessoas têm buscado informações por intermédio de meios menos tradicionais. Se estiver comunicando à moda antiga, pode ser que já tenha funcionado, mas não funciona mais; * A mídia escolhida para comunicação pode não ser apropriada ou a mais consumida pelo seu público; * Questões culturais variam muito geograficamente no Brasil. É muito importante saber atuar em cada região de forma estratégica e adequada a tal cultura; * A comunicação está sendo publicada ou veiculada em locais de pouco acesso ao público alvo da empresa; Para isso, é importante que as empresas tenham clareza sobre onde se encontra(m) o(s) seu(s) público(s) e quais os seus diferentes perfis, principalmente quanto ao consumo de mídia. Regra número um para um bom trabalho de comunicação embasado em métricas: não espere pelo público, vá até ele! Tratar cada usuário participante da sua marca com um cuidado especial pode fazer a diferença. Segundo pesquisa da Universal McCann, o compartilhamento de conteúdo na internet alcançou um papel de destaque no dia-a-dia: * 63% dos usuários já criaram perfil em algum site de relacionamento; * 57% possuíam perfil em sites de redes sociais; * 76% fazem uploads de fotos; * 33,1% publicam vídeos; * 29,1% mantêm um blog; * 71% buscam informações em blogs. Os números mostram com clareza o poder de comunicação que cada usuário dispõe e o grau de influência que têm perante os demais usuários. As pessoas confiam mais no que os usuários falam sobre as marcas do que como os mecanismos de busca as classificam. Mas, afinal, como medir tudo isso? Que ferramentas podem auxiliar as empresas para tal medição? Hoje no mercado existem inúmeras ferramentas de web analytics. Algumas gratuitas, como Google Analytics, Yahoo!Web Analytics, StatCounter e AwStats, e outras que exigem investimento. Mais importante do que ter uma ferramenta para medição, é ter clareza sobre o que é preciso medir e quais os objetivos que se pretende atingir com os dados e informações obtidas.

Tags: