Canal
Geral

Kibon realiza exposição inédita no Morro do Alemão

Por: 0 7 de Maio de 2014

Kibon, no mercado de sorvetes há mais de 70 anos, lança a exposição “Deu Na Telha”. Instalado no Morro do Alemão, o trabalho será a primeira exibição aérea realizada no Brasil e ficará exposto até final de agosto. Com lonas no lugar de telas, mais de 680 metros quadrados de pinturas serão expostos nos telhados de casas selecionadas do Complexo. Dez artistas da região e o Grupo Coletivo Gráfico, em parceria com jovens moradores da comunidade, irão criar 22 obras, 11 em cada fase do projeto, que serão expostas nos telhados das casas do Morro do Alemão.

Foto: Divulgação/Kibon.
[caption id="attachment_394898" align="aligncenter" width="562"]A exposição faz parte do projeto "Deu na Telha" da Kibon. A exposição faz parte do projeto "Deu na Telha" da Kibon.[/caption] Os trabalhos poderão ser observado por inteiro entre as estações Baiana, Alemão/Kibon e Itararé do teleférico, administradas pela SuperVia, apoiadora do projeto.
Foto: Divulgação/Kibon.
[caption id="attachment_394895" align="aligncenter" width="562"]A exposição poderá ser vista do teleférico. A exposição poderá ser vista do teleférico.[/caption] Com obras de importantes artistas como Mana Bernardes, Walter Goldfarb, Susana Anagua (Portugal) e Felipe Cardena (Espanha), o trabalho terá duas etapas. Na primeira - de março a junho – o tema será "Felicidade" e na segunda – em exibição de julho a agosto -, a pauta será "Brasilidade". “A Kibon está presente no Morro do Alemão desde 2011, quando implantou nas estações do Teleférico do Alemão pontos de venda de sorvetes para contribuir com a comunidade na geração de uma renda fixa. Este ano, queremos trazer mais cultura para a comunidade. Assim, o projeto Deu na Telha, irá unir os moradores com os artistas, possibilitando uma troca de informações e vivência.”, diz Isabel Masagão, Gerente de Marketing da Kibon. Para auxiliar na produção das obras, um programa de capacitação foi realizado desde fevereiro pelo Educap (Espaço Democrático de União, Conviência, Aprendizagem e Prevenção) com jovens da comunidade. No total, 80, adolescentes foram atendidos em mais de 32 horas de workshops de habilitação. Para Lucia Cabral, do Educap, “Incluir esses jovens na produção dos trabalhos dos artistas é algo que mudará suas vidas. Mostrar para cada um como idealizar, desenhar e produzir uma obra de arte faz com que esses adolescentes percebam o encanto dessa profissão. E chamá-los para fazer parte de algo inédito no Brasil é, com toda a certeza, inspirador.” O projeto, que tem assinatura da Kibon e do Ministério da Cultura, foi idealizado pela Open, braço de ativação da Borghi/Lowe. Com o objetivo de incentivar a comunidade a investir e acreditar nos seus sonhos, Bob Wolfenson - um dos fotógrafos mais conceituados do País - foi convidado pela Kibon a conhecer o Complexo e ministrar uma palestra sobre sua vida e profissão. E, para perpetuar o trabalho expositivo, Wolfenson também registrará a montagem da exposição, retratando os personagens da comunidade envolvidos na produção e instalação das obras. Dono da galeria carioca Graphos e curador da exposição, Ricardo Duarte diz que “O trabalho realizado na primeira etapa do projeto servirá de inspiração para que, na segunda edição, os trabalhos sejam produzidos também por moradores do Morro do Alemão.” Ao final do projeto, a Kibon, junto com a comunidade do Alemão, irá reaproveitar as lonas utilizadas na exposição. Pensando no benefício dos moradores do morro, o material será revertido em peças artesanais que irão gerar rendar extra para a população local. Veja no vídeo abaixo o filme do projeto "Deu na Telha": o filme foi dirigido pelo Gualter Pupo, da Hungry Man.

Tags: