Canal
Geral

Heróis no imaginário corporativo

Por: 0 24 de Outubro de 2011 03:15

Paulo Araújo Jack Welch, Bill Gates, Steve Jobs, Ricardo Semler, Carlos Ghosn. Pessoas de sucesso. Profissionais idolatrados no mundo corporativo. Muitas de suas experiências já viraram lendas e que jogue a primeira pedra quem nunca sentiu uma vontade enorme de ser tão reconhecido quanto eles. São como super-heróis que com seus poderes especiais salvam organizações da falência, criam impérios e dão esperança a tantos empregados desiludidos. Talentos natos. Espécies raras entre tantos iguais.

Superprofissionais como eles são raros, é verdade, mas toda empresa com um pouco de esforço e vontade pode ter seus próprios "Super-Homens" e "Mulheres Maravilhas" em seu quadro de colaboradores. Primeiro é preciso deixar bem claro que todo profissional que traz resultados e que é um talento deve ter um tratamento diferente e a sua empresa pode desenvolver e reter excelentes talentos usando as táticas listadas abaixo. Relações de Poder O profissional talentoso deve estar próximo das pessoas que comandam a empresa, ter acesso e ser consultado em decisões que realmente afetam os rumos da companhia. Todo profissional talentoso gosta de ter claro que o poder é algo que ele tem e que seu potencial será realmente usado na empresa em que trabalha. Desafio Atrelado à Remuneração Não há motivação sem desafios e não há nada mais desmotivador do que um desafio realizado sem receber nada em troca. O cachê dos melhores artistas são os mais caros, mas trazem um grande retorno para quem os contrata. Não tem como reter um talento sem uma remuneração justa e diferenciada. Tenha sempre em mente o quanto sua empresa está ganhando em tê-lo como ativo e não como uma despesa na coluna do passivo. Talentos nunca são passivos em qualquer que seja o contexto dessa palavra. Trabalho em Equipe Não isole o profissional talentoso e nem crie uma imagem do profissional intocável e insubstituível. Ele faz parte de uma equipe como qualquer outra pessoa e por mais que ele sempre desponte deixe sempre claro que nada, nada é mais importante do que o trabalho em equipe. É adotando essa política que a sua empresa vai evitar crises de vaidade e o surgimento de feudos setoriais que nunca se entendem por pura manipulação de egos. Crie Sempre um Degrau a Mais Deixe sempre à mostra ao profissional talentoso que existe um degrau a mais para ele subir na escalada ao topo. Exemplo: pessoas chaves na empresa que sabem tudo do negócio, talentosas, mas que já estão lá faz um tempão, desmotivadas e acomodadas, devem ser tornadas sócias do negócio. O topo acomoda! O sucesso engorda! O talento precisa sempre ter mais um degrau para subir, senão logo procura a escada de outra empresa. Bom para a Empresa, Equipe, Mercado, Fornecedores, Comunidade, Meio Ambiente e para si Mesmo Por último fica a dica de que se o profissional que você considera chave para o seu negócio não estiver agregando valor para pelo menos seis dos itens citados acima ele não é tão talentoso assim, e pode estar sendo superestimado. O profissional talentoso é bom, que longe de ser bonzinho, faz o que tem de ser feito e quando pode ainda surpreende pela forma com que conduz os processos e atinge resultados. O reconhecimento para o profissional talentoso acontece de forma natural, por que acima de tudo ele é humilde. Talento e arrogância não combinam e não costumam andar juntos por muito tempo sem criar grandes confusões. O verdadeiro talento sabe que está aí para servir, agregar e espera de forma sincera e sem rodeios que a empresa em que ele trabalha também faça o mesmo por ele. Toda empresa quer reter os seus talentos, mas todo talento tem que perceber o interesse e ações genuínas da empresa que colaborem para o seu crescimento. Sem isso, nada feito! E super- heróis na sua empresa só irão existir no imaginário corporativo.

Tags: