Canal
Geral

Fórum SWU de Sustentabilidade anuncia novos nomes

Por: 0 19 de Setembro de 2011

A segunda edição do Fórum Global de Sustentabilidade SWU já confirmou a participação de grandes nomes internacionais, que vêm para o Brasil para discutir as suas experiências em projetos de sustentabilidade, como os músicos Neil Young e Bob Geldof, a estilista americana Donna Karan e a guatemalteca Rigoberta Menchú, que recebeu o prêmio Nobel da Paz. Desta vez, o SWU anuncia mais dois ativistas europeus: a francesa Céline Cousteau, neta do lendário historiador marítimo Jacques Cousteau, que luta pela preservação do meio ambiente e dos oceanos, e o inglês David de Rothschild, herdeiro de uma das maiores dinastias de banqueiros da Europa, que comandou uma expedição pelo Pacífico em um barco feito 100% de plástico reciclável.

[caption id="attachment_144912" align="aligncenter" width="560" caption="Céline Cousteau."][/caption]

Depois de uma estreia bem sucedida em 2010, com a participação de 29 palestrantes nacionais e internacionais, público in loco de 3.900 pessoas e audiência de mais de 500.00 views pelo portal SWU, a segunda edição do Fórum Global de Sustentabilidade SWU acontece este ano em Paulínia (SP), durante o SWU Music and Arts Festival. Serão três dias de debates e discussões em torno de ideias, experiências e propostas para a sustentabilidade, contemplando os seus três pilares (social, ambiental e econômico). O Fórum acontece no Teatro Municipal de Paulínia, dentro da área onde será montado o festival SWU. O objetivo do encontro é fomentar debates em torno da sustentabilidade por meio do exemplo e da experiência de pessoas, empresas e organizações que já contribuem para um modo de vida mais sustentável – social, ambiental e economicamente –, mostrando que por meio de novas escolhas e práticas todos podemos, sim, fazer diferença. Céline Cousteau Desde pequena, a ambientalista francesa segue o legado de preservação do meio ambiente deixado pelo avô Jacques Cousteau. A caçula da família Cousteau já esteve no Brasil, trabalhando na filmagem de um documentário no Vale do Javari, na região amazônica, na fronteira do Brasil com o Peru, para registrar a relação que as tribos indígenas do local mantêm com a natureza selvagem e facilitar o acesso médico à região. Desde 2006, Céline Cousteau trabalha com o pai na produção de documentários sobre o meio ambiente, mas, há pouco tempo, começou com a própria ONG, chamada CauseCentric. Seu objetivo principal é despertar a atenção e a curiosidade das pessoas, disseminando vídeos curtos na internet, que mostrem os desafios ambientais que temos pela frente. “Quando as pessoas entendem o que está acontecendo com o meio ambiente, fica mais fácil de perceber como cada um de nós é responsável por tais consequências. A saúde e o bem-estar da natureza dependem de nós – e nós também dependemos dela”, afirma Céline. Sobre o Fórum Global de Sustentabilidade SWU, Céline diz que “Não é apenas uma conferência, é também um evento participativo onde as pessoas podem celebrar e sentir que este também é o mundo delas e que, juntos, podemos fazer a diferença”. David de Rothschild Herdeiro da família de banqueiros Rothschild, dona de uma das maiores fortunas do mundo, David de Rothschild é fundador da Adventure Ecology, um grupo que organiza expedições pelo mundo, para promover a conscientização sobre os impactos da mudança climática do planeta.

[caption id="attachment_144913" align="aligncenter" width="400" caption="David de Rothschild."][/caption]

Formado em Medicina Natural no College of Naturopathic Medicine, em Londres, David e mais cinco amigos desenvolveram um barco feito com garrafas de plástico recicláveis, o Plastiki. O objetivo era chamar a atenção das pessoas para a Grande Mancha de Lixo do Pacífico (também chamada de “grande sopa de plástico”), a maior concentração de lixo do mundo, com centenas de quilômetros de diâmetro, onde milhões de toneladas de lixo boiam entre a costa oeste dos Estados Unidos e o Japão, devido às correntes marítimas no Pacífico. Mais do que uma aventura, o objetivo era levantar a discussão de como o lixo acumulado nos oceanos destrói ecossistemas e afeta a vida marinha. O trajeto começou em março do ano passado e levou mais de quatro meses para cruzar o Oceano Pacífico e alcançar a Costa da Austrália, em Sidney. A energia utilizada pelo barco era totalmente limpa: o conjunto de bicicletas, geradores eólicos, painéis solares e motor de biodiesel abasteceram o barco durante todo o percurso. O Plastiki foi construído com 12 mil garrafas PET, o que equivale ao consumo dos Estados Unidos em apenas oito segundos. Em 2006, David atravessou o pólo ártico em 100 dias, saindo da Rússia até o Canadá, e se tornou uma das 42 pessoas e o britânico mais novo a alcançar os dois pólos geográficos. Também é uma das 14 pessoas no mundo que atravessou toda a Antártida. Em 2007, organizou uma expedição para o Equador para gravar um documentário sobre a devastação que as companhias internacionais de petróleo haviam causado pela vasta perfuração nas reservas de petróleo. David de Rothschild foi reconhecido pela revista National Geographic como um dos maiores exploradores emergentes do mundo, recebeu o título de embaixador internacional da ONG Clean Up The World e, no Fórum Econômico Mundial, recebeu a nomeação de Jovem Líder Global.

Tags: