Canal
Geral

Flavia Goldenberg no comando do Promosustentável

Por: 0 21 de Setembro de 2012

Com prazer aceito o convite de Júlio Feijó para colaborar com o Promosustentável, expressar minha opinião e ajudar a construir um pensamento a respeito de como a sustentabilidade se relaciona com as diversas áreas da comunicação. Quais as oportunidades, quais os desafios da promoção mais responsável. Vamos falar de algo muito novo, um campo quase inexplorado e cheio de oportunidades pra todos, clientes, agências e profissionais da área.

Esta é um longa história que fica para outra hora, mas desde que me formei em Engenharia, trabalhei para promover marcas, ideias e produtos. Participei de momentos gloriosos em empresas de tecnologia, brinquedos, livros, etc. Sou do tempo que o trade marketing chamava-se promoção e merchandising, e fui até presidente de um comitê que levava este nome na ABA. São 27 anos de carreira nas áreas de marketing e comunicação. Galguei altas posições nas empresas, fui responsável por times com centenas de pessoas mas, curiosa que sou, resolvi sentar do outro lado do balcão, por 12 anos, como sócia de uma agência de comunicação focada no marketing promocional. Mas, esta vida não para de nos apresentar desafios e quando imaginava saber muito sobre promoção e comunicação, percebi que não sabia quase nada sobre sustentabilidade em promoção, eventos e tudo que envolve comunicação. Me apaixonei pelo desafio. Fiz cursos, pesquisei, li muito, e, a cada palestra, livro ou filme que eu assistia, minha vontade de trabalhar as variáveis desta equação me provocavam mais e mais. Variáveis, equações, pois é as análises de dados e as reações químico-físicas que acontecem no nosso planeta me reaproximaram da engenharia. No entanto, o que mais me encanta é a possibilidade de tratar de questões tão pouco exatas, como, o que é qualidade de vida, quanto precisamos para viver? Mais é sempre mais? Como lidar com a desigualdade social? Como mudar atitudes? Como se comunicar com as pessoas? Questões brilhantemente discutidas no livro de Ricardo Abramovay “Muito além de uma economia verde”. Despir-se da tentação de julgar o que é certo e o que é errado, o que é bom e o que é ruim, exigiu de mim mais maturidade. Por vezes, o que é necessidade básica para alguns, é supérfluo para outros. Dependendo da cultura, do ambiente em que se vive, do tamanho da população etc. Me fascina a ideia de não haver resposta certa para quase tudo em sustentabilidade, trata-se de refletir e tomar a melhor decisão a cada passo que damos. É como dançar tango.

As pessoas frequentemente me perguntam: é melhor usar papel reciclado ou papel certificado? Você sabe qual é a resposta?  A resposta é: depende. Depende do que se deseja privilegiar. Se você usa o papel certificado, está consumindo um papel com melhor compensação de carbono, menor gestão do consumo de água. Se você usa o papel reciclado está evitando o acúmulo de lixo nos aterros sanitários, está fomentando a cadeia de trabalho das cooperativas, o que é melhor? Depende do que é mais urgente e mais significativo para a sua sociedade, sua empresa. Minha missão será fazer com que você reflita como agregar valor às suas atividades, tornando-as mais valorizadas, perante a empresa onde você  trabalha e perante seus clientes. E, principalmente, empoderá-lo, para construir sua opinião e fazer suas  própria críticas. Quero ressaltar que  estou longe de  querer transformá-los em pessoas boazinhas, nem tão pouco em ativistas defensores dos direitos humanos ou do meio ambiente. Sou uma profissional realista criada no mercado corporativo, mas acredito no desenvolvimento humano em melhor sintonia com este lugar onde vivemos. Hoje, na fase final de meu MBA em Gestão da Sustentabilidade, estudando com gente da melhor qualidade, penso que é muita pretensão falar em salvar o planeta, quem somos nós?! O planeta está bem, obrigada. Nós é que temos um problema. Na minha opinião temos que nos preocupar em garantir nossa sobrevivência neste planeta. Temos, que além de sobreviver, dar um jeito de viver bem, com qualidade! E de permanecer aqui com nossos filhos e netos imaginando um futuro possível e minimamente confortável para a próximas gerações. Isso faz sentido pra você? Pra isso precisamos achar caminhos e soluções para os nossos problemas. Manter limpa a água que nós precisamos para beber e para produzir tudo aquilo que necessitamos, garantir o ar para respiramos!  Manter limpo o espaço que vivemos.

Porque água, ar e outros serviços hoje prestados pelos ecossistemas vão nos custar e vão absorver boa parte de nossas rendas no futuro. Porque neste planeta não há como jogar nada fora. Se você quer saber o que promoção tem a ver com isso venha comigo, discutir pontos de vista e aprender juntos.

Tags: