Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Empresas devem oferecer soluções para estimular talento

Por: 0. 5 de Novembro de 2014

Soluções de gestão desenvolvidas para atender a característica profissional dos mais introvertidos começam a entrar na agenda das grandes empresas globais dispostas a ganhar em inovação e eficiência. Quem aponta a tendência é Susan Cain, celebrada autora do bestseller “O Poder dos Quietos: como os tímidos e os introvertidos podem mudar um mundo que não para de falar”, durante HSM ExpoManagement 2014, maior evento de gestão e educação executiva da América Latina.

Foto: Reprodução/Google.
[caption id="attachment_430700" align="aligncenter" width="562"]Susan Cain. Susan Cain.[/caption] Susan afirma que iniciativas como a remodelação dos escritórios com opções de ambientes de trabalhos mais silenciosos separados dos espaços cotidianos normais de trabalho, em geral mais agitados, podem fazer a diferença para que as empresas explorem melhor a eficiência,  potencial criativo e inovador dos profissionais introvertidos. “É necessário oferecer opções de escolhas de ambiente para aproveitar o melhor da característica de cada profissional.”, diz Susan ao ilustrar dificuldades enfrentadas pelos tímidos no dia-a-dia de um escritório em constante conturbação de ruídos. O mesmo ocorre com relação a trabalhos em grupo e com as frequentes reuniões de equipe nas empresas para o desenvolvimento de projetos ou tomadas de decisões. Segundo Susan, perde-se os melhores atributos de profissionais introvertidos quando se tem apenas a opção de elaboração destes trabalhos em grupo. “Às vezes, reuniões em grupo podem ser problemáticas para a tomada de decisões.”, afirma Susan ao citar pesquisas que mostram que em reuniões típicas de trabalho, em média, uma minoria de três pessoas fica responsável por 70% da fala, o que pode abafar opiniões diferentes e mais acertadas dos mais tímidos. Segundo Susan, há estudos que mostram como natural da tendência do comportamento humano em seguir a opinião de outros nestes ambientes. “E se você busca a melhor decisão, é melhor se destacar do grupo e refletir sozinho sobre uma posição.”, afirma. Ela indica ser necessário nas empresas soluções que também mantenham e estimulem a parceria de trabalho entre profissionais mais extrovertidos, mas respeitando as necessidades de reflexão solitária, natural dos mais tímidos. Susan citou exemplos como o de companhias como a Procter & Gamble e de organizações como a Nasa que procuram hoje desenvolver projetos de gestão que buscam espaços privados para atender melhor às necessidades de produção dos mais introvertidos.   CTA anuário BANNER GERAL

Tags: