Canal
Geral

Dez dicas para aproveitar a ABF Franchising Expo

Por: 0 10 de Junho de 2011

A feira ABF Franchising Expo é o segundo maior evento do gênero no mundo, ocupa 30 mil metros quadrados, com 420 expositores e 45 mil visitantes durante os quatro dias. Se perder no meio de tanta gente não é nada difícil, por isso, o consultor e especialista em franquias Marcus Rizzo, da Rizzo Franchise, dá dicas para ter um melhor aproveitamento durante a visita. Decida quais negócios você gosta mais Quando você vai para o evento com foco naquilo que quer, as coisas ficam mais fáceis e é possível aproveitar melhor o tempo da visita. Por isso, uma boa franquia é sempre aquela que está dentro de um setor ou ramo de atividade com o qual você se identifica. “Se você é apaixonado por carros, por exemplo, pode facilmente ser atraído por franquias como oficinas mecânicas, postos de combustíveis, locadoras ou concessionárias de automóveis”, sugere Rizzo. Prepare?se para ir a um evento de negócios Para muitos, visitar feiras desse tipo pode parecer um passeio, mas se a intenção é mesmo encontrar uma franquia para investir, Rizzo ensina que é importante estar preparado para fazer negócios. “Deixe o traje esportivo de lado e vista?se para uma ocasião de negócios, ainda que de forma casual. Deixe as crianças em casa e não se esqueça de levar cartões de visita e uma pasta para coletar informações das franquias de seu interesse”, explica. Aproveite os primeiros dias da feira Neste ano, a ABF Franchising Expo acontece entre 08 e 11/06, das 13 às 21h e das 12 às 18h, no sábado. “Sexta?feira e sábado são os dias mais concorridos e todos estão muito cansados. É no início que as pessoas estão mais animadas para um melhor atendimento”, diz o consultor. Leve um mapa do evento Em um centro de exposições com 30 mil metros quadrados, é bem provável que as pessoas circulem sempre pelos mesmos espaços e percam oportunidades. Por isso, avalie com calma a localização dos estandes. “Quando chegar ao local, logo após efetuar a inscrição, tire alguns minutos para analisar o folheto do evento. Tome um café com calma e faça uma primeira avaliação das empresas que estão presentes, localizando?as previamente no mapa. Selecione, então, aquelas que mais se identificam com o seu interesse”, ensina Rizzo. Trace uma estratégia Já com os locais de interesses marcados no mapa e sabendo o que te interessa conhecer melhor, a próxima dica é percorrer a feira com método. “Priorize a visita aos estandes dos negócios que você tem interesse e não subestime o tempo necessário para cada parada”, diz. O ideal é que cada visita não ultrapasse 15 minutos. Nesta etapa, procure descartar imediatamente as franquias que não lhe interessam. Avalie as redes de franquias Para saber quais redes vão merecer sua atenção, saiba quais as perguntas certas fazer para avaliar as franquias. “Comece fazendo três perguntas: que tipo de financiamento é oferecido para adquirir a franquia, qual é a experiência exigida para o negócio e se há interesse em colocar uma unidade na sua cidade”, sugere o consultor. Faça perguntas objetivas Já deixando de fora as marcas que não interessam, peça mais detalhes para gerar uma conversa sobre o negócio. Descubra qual o conceito e o sistema de operação, qual o plano de crescimento, o programa de treinamento, se a rede opera unidades próprias e como é o suporte ao franqueado. “Tente obter informações que você não encontrará nos materiais de venda de franquias”, diz. Cuidado com a isenção de taxas Muitas redes aproveitam a feira para atrair novos franqueados com promoções e isenção de taxas. O que parece ser muito bom pode, na verdade, se revelar um problema. “No franchising são as taxas que remuneram todo o treinamento e suporte que o franqueador oferece. Logo, será que o suporte não será igual à taxa, ou seja, zero?”, alerta o especialista. Faça perguntas financeiras para os franqueados O que quase todo mundo quer saber quando investe em uma franquia é quanto dinheiro é necessário para instalar a operação. “Esta é sempre uma questão muito difícil de ser respondida pelo franqueador, pois depende de uma série de variáveis específicas, como performance de negócios já em operação, ponto comercial e do próprio mercado de atuação”, diz Rizzo. A dica é deixar para falar sobre isso com franqueados da rede para saber, na prática, tudo o que foi necessário para começar a operar a franquia. Cuidado com armadilhas e perigos Três pontos são essenciais para não cair em uma armadilha. O primeiro deles é ter atenção com estandes que reúnem várias franquias e que são organizados por corretores. “Os corretores são movidos pela comissão de venda da franquia, nunca pela relação de continuidade dela por longo tempo”, explica. Outra dica é não mergulhar precipitadamente no negócio. “Não assine nada, nem se comprometa com nenhum dos negócios, mesmo que você esteja totalmente apaixonado”, diz. Além disso, muita calma antes de se entusiasmar com as redes internacionais. “Certamente, você é quem acabará como o “rato de laboratório”, experimentando os novos conceitos no Brasil”, alerta Rizzo. Fonte: Priscila Zuini/Revista Exame.

Tags: