Canal
Geral

Deram alguma coisa na feira? – Por Marina Pechlivanis

Por: 0 3 de Julho de 2011

Marina Pechlivanis* Quem é que não pergunta: Tinha brinde no estande? Ah! SPFW! Renovações sutis, muito mais nas sensações e no acolhimento proposto pelos lounges e desfiles demonstrando o comportamento das marcas. Para lavar a alma, água Perrier! (Um bom merchandising, a la vonté!). Na Oi, a gentileza pela boa receptividade, desta vez em um espaço fechado, porém “open house”. Visitou, ganhou cartão com retalho simbolizando a doação de um metro quadrado de tecido para o projeto social Bordadeiras da Coroa. E a cobertura do evento pelo Portal Oi Moda e Oi FM. Gift e tanto. Generoso.

Da Melissa, sempre surpreendente e do alto de seu salto fashionista, Power of Love na panacota com pétalas e coulis de rosa, no figurino, na trilha sonora, no chaveirinho de coração. Tudo envolvido no projeto de Eli Sudbrack, do coletivo Avaf (Assume Vivid Astro Focus).

Para quem estava no evento, Make B manteve a estratégia de experimentação de seus produtos maquiando os visitantes e, novidade, oferecendo curso de maquiagem — fez fila! Para quem ficou de fora, informações quentes de blogueiras direto do lounge O Boticário. Desfiles? Destaque para Ronaldo Fraga. Entregou emoção, alegria, saudosismo, um espetáculo para os olhos. E um saco de confete de carnaval, tamanho família, para usar lá mesmo ou, quem preferiu, para levar um pouco daquele carnaval para casa. Também entregou amostras de esmalte Risqué para ajudar na fantasia! Oh! Casa Cor… Neste aspecto, já foi mais interessante. Está um pouco previsível, explícito. Poucas surpresas. Intervenções de merchandising em cada metro quadrado decorado dos espaços a mostra. Da marca de eletrodomésticos passando a de produtos para usar na banheira e — deve ser o ano da banheira! — muitas delas, em praticamente todos os aposentos. E ações de merchandising (banho de espuma!), como de O Boticário. Para beber, garrafinhas de H20H! em vários ambientes cenográficos e no bar H2OH! Aberto para degustação, reforça a parceria de longa data com a casa Cor. Uma vez que os objetos assinados pelo espaço não são distribuídos, um contentamento pode ser visitar a lojinha (Veja aqui). Não é um gifting grátis, mas é gifting! E as pessoas saem com as sacolinhas vermelhas, despertando a inveja de quem não tem nada nas mãos. Hum! Feira da ABF… Poucos approachs criativos e muito material de negócios. É de se imaginar as pessoas saindo com acervos de papel e… Qual o destino desta folheteria toda? De fato poderia haver maneira mais sustentável de fazer promoção de franquias. Sacolas não faltaram! Especialmente de papel. Uma batatinha pen drive de Roasted Potato chamou a atenção. Lounges especiais? Talvez o Container Ecology Store, pelo conjunto da obra. Sustentabilidade, aproveitamento de espaços e butique multimarcas… dentro de um container (Veja aqui).  Valia a visita! Lembro de quando eu era pequena e meu pai voltava da Fenit carregado de sacolinhas em tecido, camisetas, porta-moedas, canetas… Hum! Que expectativa ver as novidades “grátis” que as feiras proporcionam — um paraíso de coisinhas nem sempre tão úteis, mas sim, definitivamente necessárias. Status? Poder? Ambição? Pode ser o Festival de Cannes, a Feira da Carreira Pública, a Fispal ou a Expo Moda Edição São João. Vão-se as feiras, fica um mimo na mão.

[caption id="attachment_101075" align="aligncenter" width="360" caption=" Marina Pechlivanis é sócia-diretora da Umbigo do Mundo, Mestre em Comunicação e Consumo pela ESPM, coautora do livro Gifting (Campus Elsevier, 2009) e integrante do GEA (Grupo de Estudos Acadêmicos Ampro). [email protected]"][/caption]

Tags: